Dor de cabeça, enxaqueca, cefaleia... Cap. 1

em 17 de dezembro de 2016


Cefaleia crônica...
Cefaleia crônica e intratável...

Esses são os nomes que deram até então a dor de cabeça que trato desde os 14 anos!
Como vocês devem ter notado, eu tenho falhado algumas postagens e aviso nas redes sociais, principalmente no instagram e a causa são as crises de cefaleia, mas não é uma dorzinha não é dor de ir parar no hospital mesmo. De tomar medicação e ficar grogue total e não suportar claridade.

Barulho me incomoda, mas a claridade é como uma facada nos olhos (dói demais o globo ocular). Então eu resolvi falar de dor de cabeça, já que eu nunca na vida encontrei tantas pessoas passando pelo mesmo problema.

Bem, eu desde os 14 anos sofro com isso, mas lá nos anos 90, não era comum adolescente apresentar doenças, então, eles atribuíam tudo a sintoma emocional... Mas era uma dorzinha que marcava presença mas que não me impedia de viver como qualquer outra pessoa e eu aprendi a viver com ela, só que agora em 2011 a coisa mudou muito de figura, a dor se acentuou e começou a se tornar insuportável, comecei a viver crises, duas ao mês, três, a ponto de passar mal no trabalho, ter enjoou, tonturas...

Vai para o hospital 1 vez, 2, 3, 4... Procura médico, faz exames, começa medicação e não passa, aumenta doses, e como vocês sabem, quem trabalha com ou sem sensibilidade, continua trabalhando até que não suporta e é socorrido, em 2013 eu fui afastada do trabalho porque eu não conseguia mais ficar na frente do computador o dia todo, porque eu já tinha pânico, uma certa ocasião eu tive uma dormência da cabeça até a altura do umbigo, o que levou os neurologistas a fazerem mais investigações e foi até mesmo cogitado a possibilidade de Esclerose Lateral (diagnostico descartado, graças a Deus), continuamos investigando o caso. Mas, voltando a dor de cabeça, chega-se a Crônica quando a dor ocorre em mais de 15 dias no mês e intratável quando ela não passa com os medicamentos, estou explicando popularmente, talvez se um médico ler, ele vai dizer “não é bem assim...” estou falando como uma pessoa que sofre com isso explica para um amigo que não tem conhecimento médico. Simples assim, ta? Agora vou fornecer alguns dados oficiais e médicos para vocês.

As cefaleias são uma das principais razões para procura médica em todo o mundo, sendo responsáveis por 20% das consultas neurológicas ambulatoriais. Os dias perdidos de trabalho e escola causados por cefaleias são um problema enorme para as economias nacionais. O seu tratamento, ao contrário do que se imagina, é bastante difícil. Quando um paciente não melhora adequadamente após um tratamento, é importante identificar as razões para o insucesso.

O que pode fazer o tratamento não dar certo vai desde o uso de drogas comuns em demasia (os dipironas da vida), a dose errada dos medicamentos, uso em excesso de cafeína, má absorção das drogas administradas ou não fazer a dieta corretamente, sim gente quem sofre de cefaleia tem uma dieta a fazer, café, chocolate, shoyu, molho de tomate, entubados, etc... O ideal é consultar uma nutricionista para adequar a dieta. Perdi 6 kg, mas não fiquei feliz, porque perder quilos doente não é mérito nenhum.

Quando se fala no que é enxaqueca, pensa-se logo nos sintomas. Existem muitos possíveis sintomas da enxaqueca. Comumente estes sintomas compreendem dor de cabeça, náuseas (enjôo), vômitos, aversão à claridade, hipersensibilidade ao barulho, aos cheiros, hipersensibilidade do couro cabeludo, visão embaçada, irritabilidade, flutuações do humor, ansiedade, tontura, depressão (mesmo fora das crises), lacrimejamento etc. Um indivíduo não precisa apresentar todos estes sintomas para ter enxaqueca. Normalmente apresenta alguns deles, em graus variados.

Durante uma crise de enxaqueca, o paciente torna-se muito irritável, preferindo ser deixado sozinho. A enxaqueca pode devastar e destruir a qualidade de vida não apenas do portador da doença, mas da família em torno. Você sabia que a qualidade de vida do paciente com enxaqueca se compara àquela do paciente com câncer em estágio avançado e AIDS em fase terminal? E mesmo assim, a enxaqueca continua sendo um problema de saúde pública menosprezado? 

Boa parte das crises de enxaqueca terminam com o sono. Aliás, você sabia que sono é essencial para o tratamento da enxaqueca? Ou então, aliviam quando a pessoa vomita. Ao fim de uma crise de enxaqueca, o paciente sente-se como que de ressaca, podendo apresentar, por mais de um dia, tolerância limitada para atividade física e mental.

Bom, hoje aprendemos mais sobre esse mal que atinge muitas pessoas nessa nossa correria de vida moderna, teremos ainda mais um capitulo, falando sobre dor de cabeça, cefaleia e enxaqueca (no fim são tão parecidas), que podem ser bem mais  graves e não responderem aos tratamentos e necessitarem de interversões mais invasivas que ainda são experimentais, mas para quem esta com a vida no lixo e disso eu entendo, vale a pena testar qualquer coisa e é nessa fase do tratamento que eu estou...

Até quarta que vem, com o capitulo 2!

Pesquisa: G1, eletroneuro, enxaqueca.com

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!