Papai envelheceu e agora?



Uma das coisas que causa completo e total transtorno na família é quando nos damos conta que nossos fortes, vigorosos pais envelheceram e ao invés de serem nossos portos seguros precisam de cuidados.

É a hora que os filhos precisam administrar como cuidar, como encaixar nas suas vidas “ajeitadinhas” a rotina de um idoso que precisa de muitos cuidados. Afinal, a idade trás muitas limitações, a agilidade não é a mesma, o reflexo também não. É preciso de corrimão, barras nos banheiros, remover aquele tapete, aquela escada caracol. Pois é, a realidade bate a porta e você precisa tomar consciência que nada, nenhum objeto é mais importante que o bem estar de alguém, que uma pessoa que te deu tudo o que você é. Isso deveria ser natural não é, ah... como eu invejo o Japão e o respeito aos seus idosos, mas, na real estamos muito distantes. Em geral o que acontece é que a família se reúne e decide que papai ou mamãe precisam de cuidados mas e aí?

"Em geral, o idoso prefere ficar na sua casa com alguém que cuide dele", diz Ursula. Naira, do Programa de Assistência Domiciliária ao Idoso da Unifesp, concorda e afirma, ainda, que é muito ruim quando os idosos precisam ficar uma semana na casa de cada filho. Eles precisam ter um lugar fixo para morar. 

O idoso precisa de cuidados permanentes como, por exemplo: "Às vezes, eles acabam se alimentando daquilo que é mais fácil ou não tomam os remédios na hora certa, ou porque não se lembram ou porque ‘acham melhor’ tomar todos juntos", conta Naira. Se esse tipo de coisa acontece, os filhos precisam pensar em um esquema para que os pais estabeleçam uma rotina adequada e que não seja prejudicial à saúde.

Pode ser que aconteça alguma coisa de forma súbita, como receber um telefonema falando que seu pai caiu ou sofreu um derrame, ou gradual, como problemas para lidar com dinheiro, passar a ficar mais sonolento e não conseguir dar conta das tarefas domésticas.

Por isso é tão importante que estejamos atentos se ele pode mesmo continuar morando sozinho.

Quando pais e filhos vivem muito distantes uns dos outros este acompanhamento aos cuidados diários fica prejudicado. Geralmente, o encaminhamento nestes casos é pagar alguém para prestar essa assistência, mas se não for possível, é preciso adaptar a sua realidade a do seu idoso, ter paciência e muito amor.

A recomendação de montar uma rede de apoio também vale para quem vive próximo do idoso. O cuidado sempre recai sobre um dos filhos. E esse papel é muito difícil e estressante. A pessoa precisa pedir ajuda. Tem de ser uma responsabilidade mais compartilhada entre as pessoas da família.
Naira, que faz um trabalho de acompanhamento a cuidadores na Unifesp, diz que o cuidador precisa de cuidado também. "Ele tem uma sobrecarga física e emocional muito grande. É importante montar um esquema em que outras pessoas da família possam colaborar, para que o cuidador principal possa ter tempo para dedicar a si mesmo". 

Então, tem. Mas não acontece gente. Família é assim não tem jeito, então hoje vários postos de saúde, hospitais já oferecem palestras e terapia para cuidadores, porque a pessoa precisa saber prestar primeiros socorros e além de tudo cuidar de seu psicológico. Além de uma dose extra de amor.

O cuidado excessivo também é um erro. "A superproteção adoece e envelhece o outro", diz a psicanalista Dorli Kamkhagi. Os filhos devem avaliar em quais tarefas os pais precisam de ajuda, mas sem assumir todas elas. 

"Às vezes, a vida dos pais só precisa de um novo arranjo. O idoso não consegue cortar um legume, mas consegue dobrar roupas ou preparar um bolo. O ideal é ajustar as atividades e permitir que os idosos executem aquelas que são capazes. Todo mundo gosta de se sentir útil", afirma Andrea.

Eu sempre digo que para cada tarefa que temos na vida Deus nos capacita. Às vezes a gente é super estressado, mas quando há amor, há paciência, há tolerância. Se você não é capaz de amar e cuidar de seus pais, você é capaz de amar quem?

Tem um vídeo do Padre Fabio de Melo que fala da inutilidade que é maravilhoso eu vou deixar aqui para vocês e uma pergunta você é capaz de sentir um amor assim?


Só mais uma coisinha, o Senai oferece curso para cuidadores gratuito, se você se interessar CLIQUE AQUI.

“E feliz do filho que é pai de seu pai antes da morte, e triste do filho que aparece somente no enterro e não se despede um pouco por dia”. (Fabrício Carpinejar)


Pesquisa: uol, hc, senai, idosofeliz, revistadonna, yt
LEIA MAIS

A despedida


Passou da hora de ser adulta e te deixar voar como você quer há muito tempo, sem dramas pessoais, sem falar de coisas que já não lhe dizem respeito...

Quero dizer que não vou mais lhe escrever, sim, eu sei que já disse isso antes e nunca honrei minha palavra, mas sabe o amor faz a gente perder um bom bocado do orgulho ostentado um dia... Dizem que quem erra por amar demais, sempre merece um pouco mais de paciência, eu agradeço por me conceder!

Acho que depois de tentar lhe provar que o amor pode superar qualquer crise, qualquer ciúmes e não obter sucesso, eu lhe devo esse direito a paz... Estou jogando a toalha. Entregando os pontos...

Quero que saiba que me sinto muito mal e me arrependo pelo jeito violento que lhe agredi, isso é imperdoável... Por isso não lhe pedirei perdão! Eu não mereço... Mas se for possível, entenda que rejeição é uma dor difícil de lidar e aceitar.

Quero que você seja, quero que você realize cada um de seus sonhos de amor e vida... Peço a Deus que encontre alguém que saiba te amar como você merece, com leveza, desprendimento, desprendimento, perspectiva e que viva nova e felizes aventuras... Do começo ao fim!

Não é uma oração, não oro mais por você como você me pediu, sei que não sou digna... Vou me lembrar disso pra sempre.

Vim dizer que, estou abrindo os braços e te libertando desse abraço que você deseja se desvencilhar...

Agora, você é livre!!! Voe... Cuidado com o sol para não derreter a cera, porque apesar de todo o sentimento que carrego em mim eu preciso me refazer, e não vou poder recolher as penas e ajudar a costura-las outra vez, não mais. Nunca mais.

Obrigada por tudo que me deu e me fez, eu te amei e amarei pra sempre de forma inexplicável, porem completamente inconveniente para sua vida...

Segue feliz e leve, sorrindo, aqui ou em qualquer lugar do mundo, sem mensagens de “como vc esta”¿ Eu não quero ser amiga, eu não sei ainda, respeita ta¿

Guardarei em mim a pessoa digna, correta, doce e amável que me permitiu conhecer. As demais coisas eu vou apagar todos os dias, talvez eu rasque o papel, aqui e ali, mas...

Vou dar o meu melhor, prometo.

Lindas novas fases, aventuras e momentos oníricos (verdadeiramente felizes)...

Luz!

(Esse texto já foi meu, hoje é em solidariedade a dor de uma amiga/irmã... Só quem já perdeu um grande amor, que achava que era único e definitivo sabe as dores físicas e de alma que se sente... É um processo, breve vem o ritual da libertação e um novo olhar para o futuro e eu vou estar aqui, para te levar para sair e para chorarmos juntas, do mesmo jeito que você fez comigo, porque amigas são para isso. Nunca tenha vergonha de ter lutado por um amor.)
LEIA MAIS

Boicote


Quantas vezes nós boicotamos nossos sonhos, desejos, enfim nossa vida!

Nós boicotamos aquele até nosso regime, quando escondemos do diário alimentar aquilo que comemos e não anotamos... Mas isso é o menor de nossos delitos.

Quantas vezes nós fazemos boicotes gigantescos que nos levam por caminhos totalmente diferentes daqueles que “sonhamos” para nossa vida, mas que por medo ou covardia a gente se esconde, se fecha e por fim boicota aquele destino dos sonhos...

Vida de comercial de margarina é mesmo difícil, mas a gente pode tentar chegar o mais próximo possível não é? Caindo aqui e ali acredito que nosso objetivo é ter uma vida o mais próximo daquela “perfeição” que a gente idealizou... Mas tem coisas que nos paralisam... Se a gente olhar para traz, certamente encontraremos esse “fator paralisante”.

-Tá Deia e agora?
-Agora é com você!
-Assim Deia? 
-Sim, assim mesmo.

Eu tô aqui chorando alfinetes sem saber o que eu vou fazer com um boicote imenso que eu fiz na minha vida, sem achar um jeito de consertar esse tsunami.

Sim, porque vejam bem, não há terapia que dê jeito em algumas coisas que você deixou passar e não tem mais com voltar atrás. Ah, mas nunca é tarde... 

Pera aí amiga, essa frase cabe em quase tudo, mas, tem coisas que são irreversíveis. É por isso que eu estou escrevendo e mais uma vez escancarando uma pagina da minha vida. Você leu a nossa matéria da quarta-feira a respeito de maternidade na maturidade? Pois então. Esse é um caso do "não há jeito". Algumas coisas não há fada madrinha que dê jeito e olha vou te contar “fadas não existem”!

Então se você que está lendo e aquele sininho tocou e você está enxergando em si algum sinal de boicote, se você percebe que por medo está deixando o tempo passar... Mexa-se!

Olha é assim que funciona, a gente vive dando desculpa para começar algo... “Ah, ano que vem eu começo a estudar.” Ou... “Depois que eu fizer aquela cirurgia eu vou levar a sério meu relacionamento e pensar em ter minha família”. Outro sinal descarado é colocar o interesse dos outros acima dos seus, parece bonito né? Parece coisa de gente “espiritualmente elevada”, não é mesmo?

Vem cá minha amiga, você está se escondendo atrás da fraqueza do outro porque? Está com medo de ser feliz ou de dar de cara com a infelicidade? Decepção passa. Infelicidade passa. Desculpa a sinceridade, mas é que desse assunto eu entendo um pouco.

Vai acabar amarrando o outro a você por gratidão ou por dó? Vai ser infeliz e oh, vai acabar sozinho, sonhando com tudo que podia ter e não tem.

Então vai a luta, abraça a vida e vai sem medo. Nós já nascemos com todos os ¨nãos¨ da vida, resta-nos lutar pelos “sins”. E quem não luta sem medo, não vive e eu sei do que estou falando e disso e não tenho 01 gota de orgulho.

Então hoje, eu quero dizer, pare de se boicotar e lute, porque a vida é uma vela, soprou...

E, quando você encontrar Deus como é que você vai olhar pra ele, não tendo feito nada de bom com tudo que ele te deu?

Vai na fé!
LEIA MAIS

Maternidade na maturidade


Oi amoras!

Desculpem meninos, mas hoje é papo calcinha, mas, se vocês forem garotos geniais e quiserem ler a gente vai bater palmas!

Pois bem, se você é daquelas que sempre disse “não quero ter filhos...” e se jogou no trabalho, estudo, viveu para as outras coisas/pessoas do mundo, mas daí "quarentou" e a campainha da maternidade soaram, vem pra cá amiga, que estamos no mesmo time!

E eu tenho boas e más noticias, senta aí, pega a pipoca, um café que nosso papo vai ser longo!

Com o ingresso das mulheres no mercado de trabalho, a extensão da formação acadêmica (mestrado, doutorado, etc...), os casamentos mais tardios e ainda a dúvida, será que quero ter filhos? Os filhos vão sendo adiados como se tivéssemos todo o tempo do mundo. Com os tratamentos de reprodução assistida, ficou a impressão que engravidar é só uma questão e querer. A má notícia é que infelizmente, não é bem assim.

Eu vou falar pra vocês de coração, meu maior medo de colocar um serzinho no mundo era que ele ou ela, tivesse um pai como o meu, de não saber ser uma boa mãe também claro, mas quem acompanha meus textos sabem que eu amo meu pai (que já não está entre nós), mas nossa relação nunca foi de amor e sim de abandono, desprezo. Meu pai foi um ótimo pai, para os filhos do segundo casamento, sendo isso a maior causa das minhas dores... E hoje, por motivos diversos eu já não posso mais ser mãe natural, mas esse pode não ser o seu caso, talvez você ainda tenha essa chance. Enquanto eu dizia, “não quero” era uma coisa, quando eu soube “não posso” meu mundo caiu”...
Mas vamos lá!

Normalmente os médicos aguardam um ano de tentativas naturais antes de propor exames mais detalhados ou que o casal recorra à reprodução assistida. No caso de mulheres acima dos 35, o prazo é mais curto: 06 meses. Acima dos 40, as mulheres podem ter a fertilidade checada já de cara. Se, aos 40, um terço dos casais tem dificuldade de engravidar, depois de 40, dois terços das mulheres têm problemas de fertilidade (de cara eu já me encaixava aí).

Engravidar naturalmente ou mesmo por meio de técnicas de reprodução assistida com o próprio material genético é exceção: as chances de engravidar naturalmente nesta faixa etária são muito baixas. Menos de 1% das mulheres que fizeram tratamentos de alta complexidade (fertilização in vitro), conseguem ter uma gestação usando o seu próprio óvulo (material genético). “Quase todas as mulheres nesta faixa etária precisam de ovodoação”, diz o Dr. André Chammas Sotelo, pai de Paola. Ou seja, talvez o espermatozóide seja do seu marido, mas o óvulo será de outra mulher.

Ah lá, até nisso os homens levam vantagem minha gente!

Aí talvez, você tenha a oportunidade de congelar seus óvulos. Custa em média de R$ 6.000,00 a R$ 10.000,00 e podem ser congelado por tempo indeterminado, mas, você precisa fazer a fertilização até os 50 anos ok? Vou deixar o link aqui da matéria da Marie Claire para vocês lerem, caso se interessem, tá? CLIQUE AQUI.

Voltando a gravidez...

A idade média em que as brasileiras entram na menopausa fica entre 50 e 52 anos, sinalizando, em tese, o fim da vida reprodutiva. Mas, como você já percebeu, as chances de ter um filho se reduzem drasticamente bem antes.

E mais, não caiam nessa, lembram que eu contei que eu entrei no climatério com 37/38 anos? Cada pessoa, um novo histórico. É bom sempre saber como foi com sua vó, mãe, não tem como fugir da genética.

Ainda não existe nenhuma técnica que retarde a menopausa, pois o envelhecimento ovariano não pode ser bloqueado. A mulher já nasce com um número determinado de óvulos nos ovários. E, ao longo da vida, este número cai gradativamente, não existindo uma forma de parar a diminuição de óvulos mês a mês.
Mesmo se você utiliza anticoncepcional, apesar de não ovular, seus óvulos sofrem uma degradação natural programada geneticamente. A única forma de manter por um tempo mais prolongado a fertilidade é por meio do procedimento de congelamento de óvulos, quando estes são retirados em uma idade precoce. Mas, para isso, você já teria de saber por volta dos 30 que não teria engravidado até bem mais tarde.

Mais riscos

A idade em que o risco de problemas dá um salto vem bem antes dos 45, mais exatamente, dez anos antes. “A partir dos 35 anos, a cada ano que passa, o risco aumenta de forma muito mais rápida e acentuada, tanto para as alterações fetais (cromossômicas e genéticas) que se devem ao envelhecimento do óvulo, podendo levar a não evolução do embrião e ao abortamento, quanto o risco de alterações maternas, como diabete, hipertensão ou miomas”, explica.  E não importa se essa é a sua primeira, segunda, terceira ou quarta gestação. Os riscos são altos seja a primeira ou qualquer outra gravidez. O que pesa é mesmo a idade.

Não preciso nem comentar né amigas? Cadê a fada da eterna juventude?

E, apesar das doenças ligadas à gravidez causarem grande preocupação, com a idade mais avançada significando maior risco de diabetes gestacional, eclâmpsia e parto prematuro, o principal fator a ser levado em conta é mesmo o envelhecimento genético do óvulo. “A possibilidade de a gestação ser interrompida precocemente por um aborto ou evoluir de forma que uma síndrome genética esteja presente acaba sendo o problema mais frequente”, diz o médico.

Quando a mãe tem 44 anos, o risco de um bebê ter síndrome de Down é de quase 1 para 38. Aos 46, 1 para 23. Sendo que essa proporção é de apenas 1 para 952 aos 30 anos.
Para quem recorre à fertilização in vitro, existe a possibilidade de fazer uma avaliação embrionária antes da implantação do embrião, excluindo o risco da Síndrome de Down e algumas doenças genéticas. Mas esta técnica não exclui a possibilidade de outras síndromes estarem presentes.

Pois é, mas além de existir o médico dos médicos, Deus! Nós ainda temos o plano C, a adoção. Eu acho simplesmente lindo adotar, sinceramente é um plano pra minha vida. Estou pedindo orientação a Deus e confirmação, pois de acordo com a minha religião é assim que funciona. Mais para frente podemos falar mais disso. 

Hoje a mensagem que eu quero deixar a cada uma é que, ainda que você hoje não pense, não queira ter filhos, não dispense essa ideia em definitivo, nós mulheres somos seres absurdamente instáveis e se pensarmos bem a vida é uma escola tão maravilhosa e eu acredito que seja maravilhoso transferir um pouco de tudo que vivemos e aprendemos a outro ser, muito do pouco do bom que temos. Não desejo e nem tenho a pretensão de convencer ninguém, mas se eu conseguir fazer uma ou duas pessoas pensarem já valeu a pena.
Bjokas.

Pesquisa: marieclaire-paisefilhos-medicinareprodutiva

LEIA MAIS

Admiração

 Hey, faz um tempo que eu alimento esse sentimento, "saudade", sinceramente eu queria que fosse mais fácil esquecer, mas, não é!

Assim como com as pessoas, sentimentos não morrem fácil... Quando você admira uma pessoa, você simplesmente não aperta um botão e a esquece, porque a admiração  é o alimento do amor...

Quando a admiração acaba, acaba quase tudo. Quem de nós não perde um tanto de amor, quando descobre que seus pais não são as pessoas mais perfeitas do mundo?

Até se tornar adulto e saber -se também não ser...

A inocência que ainda nos resta faz-nos imaginar um ou outros "ser superior" assim "perfeitos". Mas, a maturidade joga na nossa cara a realidade ninguém é.

Com o tempo, aprendemos que podemos viver com isso é há uma certa graça e até beleza nisso e também muito de irritação.
É por isso que ouvimos nossos pais e avós dizer "o tempo é o senhor da razão", olha, da razão não sei, mas dá decepção, com certeza.

A vida é uma coisinha que nos traz frustração, decepção e dores... O que nos difere é a forma de lidar com tudo isso, muitos sequer pensam, outros jogam debaixo do tapete, outros amargam esses desabores, mas, de um todo não é nada gostoso.

O importante é saber que não somos os únicos seres privilegiados a ter essas passagens na vida. Todo que vive as tem, o que muda é a disposição de lidar. Tropeçando aqui e ali, uma hora a gente caí, outra levanta, arranhado ou com marcas que serão eternas para nos lembrar de ter mais cuidado, só uma coisa é fato incontestável, enquanto há vida, há também dores e decepções e alguns poucos momentos de felicidade, isso é a vida...

As vezes mãe, mas muitas vezes uma madrasta muito maldosa e com ela aprendemos todo dia.

LEIA MAIS

Indignos da fé!


Quem vê um sorriso de lábios, jamais será sábio…

O sorriso esta no olhar, assim como a felicidade, o brilho o viço, a arte, a maldade, o amor…

Olhos distantes… Não há o que ver… Dantes, focado numa doce esperança… Tão doce presença quanto alvajores “havanna” (rs, infeliz coincidência)…

Olhos sem brilho e sem expectativa, sem ter destino, um norte, um horizonte…

Olhos que antes eram orvalhados por emoções felizes, agora sofrem com tempestades de dores e dores…

Olhos… Parecem mais velhos, mais cansados, como se o tempo tivesse-o chicoteado sem piedade…

Olhos que ao ouvir o canto de um pássaro, olha com tristeza e pensa: “Se você soubesse como o mundo é mau!”

Que não se concentra… Lê e relê e nada entende…

Olhos que não acompanham as atitudes e gestos das mãos que indicam um caminho…

Olhos que desmentem todas as “boas novas”…

Olhos que não cerram mais em oração, indignos da fé…

Olhos que não esperam pelo sol na janela… Só vê escuridão…

Olhos que não desenha mais nas nuvens, nem na areia, nem na paisagem… Sem luz, sem ar, sem sol, sem lua!

Olhos que se perderam no azul, azul escuro e forte que tocou sua vida e acrescentou nela todas as cores que unidas em um delicioso artesanato, criava FELICIDADE…

Olhos que agora não saem de si, que com o pé no chão, não reconhece mais o arco-íris e nem o brilho das estrelas…

Olhos que não passam da frieza da tela, não viajam e não vivem alem do breu interior…

Olhos transbordantes de descrédito e sentimento ferido… Incapaz!

Olhos que precisam de descanso, repouso, pois entendeu sua indignidade, incapacidade e desmerecimento…

Olhos que sabem que vão permanecer sozinhos, livres por “invontade”, presos por uma lembrança de menina, que se fez velha, e assim permanecerá, por vontade, por falta de força e por punição…

Olhos e, em si visão periférica, racionalidade básica, sem mais, nunca mais!
LEIA MAIS

Automutilação - Transferência da dor da alma para o corpo

Bordeline ou Cutting
Oi amoras (es),
Hoje nós vamos falar de um assunto muito, mas muito sério que é a automutilação, também conhecida como cutting e alguns atribuem a pratica ao Transtorno de Bordeline.

O fato é que a pratica tem crescido muito em todo o mundo, principalmente com adolescentes. Uma busca rápida na internet e, você encontra grupos adeptos a pratica, sempre aliados a frases depressivas como: “Morri e ninguém percebeu!”

Em geral, essas pessoas fazem cortes nos pulsos, coxas, que começam com cortes quase imperceptíveis e aos poucos vão se tornando maiores e com maior frequência. Em locais que são fáceis de esconder, nos pulsos, cobertos por pulseiras, lenços e em outros locais que podem ser cobertos pelas roupas mesmo.

O principal a se saber é que não se trata de uma tentativa de suicídio, nem mesmo de chamar atenção, mas, uma forma de controlar as emoções. E ou se punir, em algum momento de culpa. Se cortar traz à tona a dor e isso funciona como uma transferência da dor. Trazendo alívio a angustia, causada por fatores internos ou externos.

A automutilação sempre está associada a outros problemas emocionais e psicológicos, como ansiedade, depressão, transtornos alimentares ou compulsivos. No momento dos cortes, o organismo libera endorfina. E se antes a adolescente procurava motivos para se cortar, ela passa a desejar a sensação boa causada por esse hormônio, independente de estar deprimida ou feliz. O vício se instala e o perigo de graves consequências só aumenta. É fundamental o auxilio de um psicólogo.

É importante que os pais prestem atenção a seus filhos, seus pulsos, se usam sempre mangas cumpridas, se só usam calças... A luta de alguns pais é altamente desgastante, pois adolescentes tem uma mente criativa absurda e ele conseguem sempre driblar os pais e achar algum objeto cortante...

Seria tão mais fácil se a gente conseguisse colocar na cabeça desses ‘serumaninhos’ que as marcas que eles fazem na pele podem até sumir, mas, as marcas que deixarão em si e em suas famílias serão para sempre!

Eu tenho falado muito de “coisas do psico”... Sim eu sei. Mas o ser humano anda tão complexo que esse tem se tornado um assunto sem fim e sinceramente me encanta, tristemente nesse caso e na maioria, mas, a mente humana é um assunto encantador, pois viaja para mares “nunca dantes imagináveis”.

Admito, nunca prestei tanta atenção no pulso das pessoas, rsrs...
Espero que as pessoas encontrem outra forma de aliviarem suas dores, culpas e medos... Até!


Fonte: psiconlinews, oficinadepsicologia e blogcristianecardoso

LEIA MAIS

Preciso-te


Preciso-te de tantas formas e de todos os jeitos que se torna até difícil explicar... “Necessidade absoluta.”

Preciso do “olá” que aumenta a temperatura do meu corpo, me faz sentir o sangue correr com força, é a vida em mim transbordando em um simples cumprimento. “Certeza que posso tudo!”

Preciso do seu olhar, embora nem o saiba com certeza. Caminhar, sabê-lo ou imaginá-lo observando-me traz a sensação de proteção, de que não caminho sozinho, “sua mão na minha em todos os momentos...”

Preciso do seu humor, velado, humor entrelinhas, sorriso disfarçado... Engolir seco sem entender se é mesmo uma brincadeira ou ironia, é um mistério excitante, caminhar numa corda fraca, podendo cair a qualquer momento. “Equilíbrio.”

Preciso da sua palavra, que tem sempre um “tom” de casual, mas que deliciosamente eu já conheço quando me chega em tensão... “Amor sentimento que tudo alcança!”

Preciso da palavra explicita, e dos doces momentos em que elas somente me rendiam lágrimas de emoção, “segmento do meu ser...”

Preciso do cuidado que beira a cobrança, advertindo-me: “menina”... Do cheiro de mato, ou de banho, da urgência do final de semana perdendo-nos no tempo, horas a fio diante do amor que como punição não se faz mais meu, perdida e incapaz de compreender o inadequado. “Culpa!”

Preciso das perguntas, que desvendaram tudo de mim... Do ciúme subentendido, disfarçado, sem justificativa, mas, que só o amor pode acomodar dentro de si sem questionar ou ofender-se. “Serenidade inabalada.”

Preciso dos sonhos e planos que me faz viva, que enxerga através do amor o futuro, resgatando-me da inércia de viver por viver, “mulher pronta pra vida.”

Preciso da força que define em pensamento reto “se você ficar feliz”... Da decisão compartilhada. Da admiração bilateral, do incentivo as palavras que hoje nem sempre são minhas... “Silêncio que tantas vezes é definitivamente diz tanto, tudo que eu não suporto ouvir em alto e bom som! Dilacerando-me.”

Preciso dos e-mails cheios de graças, das artes em palavras nas tardes inesquecíveis... “Livre e sorridente diante de tudo.”

Preciso até mesmo da fé, de crer no que não ver... De confiar no sentimento... “Viver por isso, disso, com isso, sem questionamento!”

Preciso dos trocadilhos, neologismos e experiências empíricas... Preciso do sábado de namorados, do retorno para o “boa noite”... EU PRECISO do “vim te colocar na cama”, do “cansada?”... “Meu amor” comum e aceito como verdadeiramente o meu ar. “Vida!”

Preciso do toque, preciso do toque, preciso... Preciso da paz... Viver... PRECISO da paz que nada pode substituir, cansada do mergulho em águas salgadas, fortes, quentes e incessantes que não são do mar, arremessando-me minuto após outro no rochedo que fere. “Dor que não passa, aumenta, lateja...”

Preciso do “bom dia” as 6h00 antes de trabalhar... Preciso até mesmo das palavras que desnorteiam e cora a “secretaria” no meio do expediente, artes de menino doce, brincalhão e meu... “Voar próximo ao sol, sorrindo e desafiando a vida.”

Preciso da urgência, do calor, do braço forte, do abraço que é meu, do rosto quente, da barba que incomoda pra me fazer feliz, do sorriso suave, do cheiro, do desabafo, de sentir o peso do seu descanso no meu peito, “saudade de tudo que eu não sei onde perdi...”

Preciso das frases em língua irmã que me tira de mim... “Te extraño”

Preciso sabê-lo, preciso tirar de mim a dor que rasga meu peito, inadequadamente, pois não é o amor a marca permanente que jamais causa agonia e medo? Porque de tudo precisa manter-se a convicção que foi bom, a saudade um sorriso docemente triste, mas ainda assim um sorriso que traz em si a certeza que os momentos foram maravilhosos e não uma mágoa. “Doçura para levar para a vida, convivendo com a ausência, mas com a certeza de que houve amor.”

Preciso desesperadamente de tudo que foi meu e que meu peito não reage à ausência... Existem dores que embora não possamos admitir, existem e é um “desassossego” para a sanidade de qualquer existência...

Preciso-te...

Preciso, antes que enfim caia em mim a certeza absoluta e definitiva que não vale a pena seguir sem causa ou cousa... “Ninguém sem alguém, sem porque, sem querer, sem viver.”
LEIA MAIS

Mulheres de Hoje - Superação e Amor


Como acontece com todo sistema opressor, ele acaba por ser boicotado... Assim aconteceu com o passar dos tempos com as mulheres...

Seres delicados, frágeis, “submissas” (não ao sistema G.E.O Grey)...

Por muito tempo tratadas como um peso morto, rejeitadas desde o nascimento, as mães eram humilhadas por serem tão “incompetentes” que nem sequer conseguiam gerar um varão!
Despertando a ira de seus “senhores” (maridos tiranos), que descarregavam suas próprias dores e frustrações na fragilidade nas quais essas mulheres foram educadas para exibir... Mais tarde quando na idade do casamento, era negociada, a base de “dotes”, para não se tornarem vergonha a família... Peso demais para frágeis ombros não? Pois é! Mas... Cabe aqui a minha frase preferida: “Nenhum animal vive em cativeiro, ou foge, ou morre!” E, então se deu início o processo da transformação...

Sábias mulheres sempre agiram de forma doce, “cedendo” as vontades de seus maridos, quando por trás de sua submissão conseguiam algumas de suas realizações... Não podemos negar que houve grandes homens realmente que colaboraram para que isso acontecesse, homens que souberam amar mais as suas mulheres que as doutrinas de suas tradicionais famílias, lhes dando amor verdadeiro e assim lhes encorajando a serem ao menos senhoras de seus lares! Pode sim, parecer pouco hoje, mas temos que fazer uma viagem para dois séculos atrás e então tentar entender a grandeza desses gestos!

Essas mulheres foram mudando a forma de criar suas filhas que já viam brilho nos olhares de suas mães que sonhavam com um futuro melhor para suas filhas, apesar ainda dos casamentos arranjados e, assim, as mulheres aprendiam a ler escondido, até a conquista da educação por fim. Educação limitada e vigiada, onde prevalecia à educação domestica. Faz-nos pensar que nascemos realmente na época certa não é?

Pois bem, houve arroubos de rebeldia, como em toda luta, sempre há quem carregue na tinta, o feminismo desmedido, fez que algumas queimassem o sutiã, medida que pode ter até ter um valor histórico, mas que demostra mais desequilíbrio que luta baseada em convicções... Não se pode negar que COCO CHANEL mudou nossas vidas, ela nos livrou do espartilho, das roupas apertadas e dos chapéus incômodos que mais pareciam grandes fruteiras - "Como pode um cérebro funcionar debaixo dessas coisas?", ela dizia!

Pouco a pouco a mulher entrou no cenário como formadora de opinião, nas pequenas salas de aula, (essa era a profissão das mocinhas, “Professora”) abraçaram a luta de educar sem descriminação, negros, brancos e todos que tivessem fome de conhecimento, as mais ousadas foram para fora de suas províncias e se tornaram musicistas, advogadas, (profissões exercidas pelos homens), o que foi uma afronta... Conquistaram o direito ao voto! Cabe citar: BERTHA LUTZ - Uma brasileira pelo voto, para lutar pelo nosso direito de votar, ela organizou até um vôo num aeroplano, de onde lançou folhetos sobre o Congresso Nacional, o Palácio do Catete, sede do governo federal no Rio de Janeiro, e os jornais da cidade. Era maio de 1928 e Bertha Lutz (1894/1976) já estava de volta ao Brasil havia dez anos, depois de se formar em ciências naturais na Sorbonne, em Paris.

Muito bem, era o que precisávamos uma porta aberta...

Muitas mulheres menos abastadas financeiramente seguiram seus próprios caminhos de liberdade, se tornaram costureiras, bordadeiras, cozinheiras, doceiras, passadeiras, lavadeiras, muitas vezes nos rios, onde podiam manter a prole de filhos sobre o seu olhar atento, olhar esse entristecido pela traição de seus maridos que era tratado como algo comum e admissível, ao se comentar elas ouviam: “Esta faltando algo na sua casa?” A resposta seria “Amor e respeito”, mas a visão do machismo “enojante” (desculpem o neologismo), dizia que se o marido supria a casa e não deixava faltar nada aos filhos à mulher não tinha do que reclamar!

O tempo passou, e vieram mulheres que foram à luta e pagaram um alto preço por isso, como BETTY FRIEDAN - A dona-de-casa que virou a mesa, Tudo começou quando ela escreveu A MÍSTICA FEMININA, em 1963, que se tornou o estopim da chamada "segunda onda" do movimento de emancipação, o Women's Lib. No livro, a psicóloga Betty, então dona-de-casa, expunha a insatisfação de mulheres como ela, impedidas de atingir todo seu potencial. Entre outras coisas, brigava pelo nosso direito de ter uma profissão e pela divisão de tarefas domésticas, conquistas hoje tão consolidadas que parecem ter caído dos céus. Pelo contrário, custaram caro até para Betty: com a repercussão do livro, passou a apanhar do marido, como contou na autobiografia LIFE SO FAR.

E mais recentemente CARMEN DA SILVA - Colunista de respeito.,.
Gaúcha de Rio Grande (1919/1985), psicóloga, ela enviou uma carta à redação da Época, depois de voltar do Uruguai e da Argentina, onde morou por 20 anos: nela, afirmava que as mulheres estavam explodindo de angústia e que por isso desejava escrever sobre as inquietações que provocavam esse e outros sentimentos. Ganhou a página A ARTE DE SER MULHER e se tornou a jornalista mais influente da imprensa feminina, abordando temas tabus, como divórcio, anticoncepcionais, dupla jornada de trabalho e igualdade de direitos entre os sexos.

Estávamos chegando lá!

De aí por diante, já estávamos na faculdade, nas redações, nas escolas, nos escritórios, dividindo cargos de chefias com os homens, mas os salários ainda eram inferiores, porém a mulher lutou e conquistou seu espaço profissional!

Hoje, as empresas apostam alto nas mulheres no mercado, pelo seu poder de concentração em mais de uma atividade ao mesmo tempo, pela doçura de conduzir, elegância e sensibilidade.
Segundo o VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, “todas as mulheres são naturalmente líderes, e que certas características exclusivas da mulher são o que faz a grande diferença no novo conceito de liderança que as empresas buscam atualmente”.

Pois bem, acho que não existem dúvidas que a mulher conquistou seu espaço na área profissional, mas não é só isso, as mulheres foram muito além! Hoje as mulheres, dirigem, viajam sozinhas, tem seus próprios negócios, trocam pneus, calibram-nos, pagam suas contas, e sem perdem sua feminilidade, tem as unhas sempre lindas, frequentam academia, estão sempre maquiadas e dispostas...

Além de se tornarem companhias muito mais agradáveis:
Os homens que iam beber com os amigos, ainda podem fazê-lo, suas mulheres não vão se importar, até porque elas também adorarão uma baladinha com suas amigas, mas se ele preferir pode beber sua cervejinha com sua mulher em casa mesmo, assistindo o jogo e ainda ouvindo dela comentários muito inteligentes a respeito, “daquele impedimento”!

Quando ela acordar pela manhã, ele vai escutar: “Amor o café está pronto?” E não mais: “O café esta pronto!” Mas ele receberá um beijo de bom dia que ele até vai esquecer, que perdeu 10 min para mimar essa mulher incrível!

Dificilmente um homem vai se sentir, invadido ou sufocado pela sua esposa, porque a mulher moderna tem suas próprias prioridades, não que ame menos, ela apenas ama mais a si mesma!

As mulheres de hoje também são melhores mães, pois está sempre atenta à educação de seus filhos, tem muito orgulho de colocar mais uma mulher no mundo, afinal o mundo precisa ter mais beleza, (hihi, desculpa não resisti)! E seus filhos homens, vão aprender a serem os cavalheiros que nós amamos ou amaríamos ter ao nosso lado, sem ter medo de chegar em casa e sentar no chão para brincar com seus filhos (vem pra cá Milena Palha), o que nos leva a crer que o futuro será bem melhor!

Nosso seguro também é ainda mais barato que o dos homens e comprovadamente somos melhores motoristas, pesquisa divulgada pelo Denatran informa que dos acidentes com vitimas 71% são homens, 11% mulheres e 18 % não informado...

Mas, antes que os “homens de nossas vidas” reclamem só uma coisa, apesar de tudo isso nós não vivemos sem vocês! Só cabem a vocês acompanhar a nossa evolução... Teremos muito prazer em ter do nosso lado homens inteligentes que admitam nossos valores e que acima de tudo que não se assustem com nossos talentos!

Ah... E antes que eu me esqueça... Na hora de ter aquela DR de convivência, os homens expõem vários pontos e as mulheres ponderam e ajustam e no fim acrescentam: “Só uma coisa, na minha casa se faz ‘amor’ todo dia” . E que AMOR, seja entendido em toda a sua amplitude!
LEIA MAIS

Novembro Azul


Oie amoras!

Hoje nós vamos falar do Novembro Azul, que é o mês dedicado a prevenção ao câncer de próstata, mas Deia, “cejura”? Juro!

Apesar de termos a maioria leitoras mulheres, nós sabemos que quem leva nossos homens (pais, filhos, maridos, irmãos), somos nós mesmo, então mais uma vez vamos nós entender a gravidade dessa doença que mata 01 homem a cada 40 minutos no Brasil! Por isso a importância de diagnosticar a doença bem no começo, quando a possibilidade de cura chega a 90%.

A indicação do exame é a partir dos 50 anos, mas para negros e pessoas que já tem histórico da doença na família se indica a partir dos 45 anos. Eu já atormento meu irmão desde que ele tinha 40 anos... #Soudessas gente! Graças a Deus ele tem feito os exames de sangue e sem alteração, mas se não é a gente ficar no pé, ele que agora tem 55 anos não teria ido!

Sabe o pior gente? Os sintomas só aparecem em estado avançado e são:
-Micção frequente.
-Fluxo urinário fraco ou interrompido.
-Impotência.
-Vontade de urinar frequentemente à noite.
-Sangue no líquido seminal.
-Dor ou ardor durante a micção.
-Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés.
-Perda do controle da bexiga ou intestino devido a pressão do tumor sobre a medula espinhal.

Se a doença se disseminou (espalhou), o homem pode apresentar sintomas como dor nas costas, quadris, coxas, ombros ou outros ossos.

Mas doenças benignas da próstata, como hiperplasia prostática também causam os mesmos sintomas.

Dessa forma, é importante manter o médico informado sobre qualquer um desses sintomas para que a causa seja diagnosticada e tratada de imediato.
Agora segundo os médicos, apesar de ser uma doença grave, se tratada, homens com doença de próstata desde que tratados não morrerão dessa doença!

Então amigas, vamos pegar na mão desses teimosos e coloca-los para se mexer e fazer os exames que são no momento do rastreamento com o antígeno prostático específico (PSA) no sangue ou durante o exame de toque retal.

Hoje amores, os médicos pedem primeiro o exame de sangue e em caso de alguma alteração aí sim faz o exame de toque, mas é coisa rápida e um minutinho de constrangimento pode salvar vidas!

Então vamos dar a mão e força para nossos queridos homens porque nós mulheres já estamos acostumadas a passar pelos perrengues e constrangimentos não é? E homens surpreendam-nos! Força seus lindos!!!

Fonte: Oncoguia
LEIA MAIS

Respeite seu direito de ser frágil


Eu não sei você, mas a maioria de nós foi educada para ser forte, mais do que pelos nossos pais, pela nossa família... Essa semana uma frase me impactou, que foi a que a mãe de Hillary Clinton disse a ela com apenas 07 anos de idade “nessa casa não há covardes, volte lá e se vingue”. Duas coisas me chamaram a atenção, a semelhança com a educação que recebi em minha casa e a palavra “vingue” que advém de vingança, que é forte e feia, eu aprendi isso e provavelmente você também.

É bonito ser forte, não? É bonito ter sempre uma solução pra tudo... Um sorriso no rosto! É legal ser a mulher maravilha... É lindo ter uma rede social cheia de fotos felizes, cheia de amigos, festas, regadas a “champs”... Mas vem cá me diz, onde é que a gente enfia as frustrações? As fragilidades? As dores da vida?

Quando as pessoas detectam em nós “a fortaleza” que nós “demonstramos” ser, passamos a ser o porto seguro de muita gente, quando na verdade nós mesmos não temos nem um colete salva vidas e estamos nos afogando nas nossas frustrações pessoais... Amigos, familiares começam a despejar seus problemas e nós as “mulheres maravilhas” e “super homens” não podemos dizer “não”! Isso não! Seria demonstrar nossa fragilidade.

Roubamos de nós mesmos o direito de sermos frágeis, o direito de chorar, de sentir dor, de pedir colo e, um colo é tão bom, mas, às vezes a gente já até esqueceu como é ter colo, a gente esqueceu como é receber carinho, tem dificuldade de lidar com elogio, a gente vira uma pedra, aparência de pedra, pode ser diamante que é mais bonito, mas, estamos longe de ter a mesma resistência.

Acontece que em algum momento a vida, o corpo vai cobrar... Nós não nascemos para ser super heróis! Nós somos só mais um ser humano frágil e temos que aprender a respeitar o nosso direito de sangrarmos as vezes, porque na vida muitas coisas irão nos machucar e isso vai doer e precisa sangrar, para depois sarar... Às vezes a gente sangra em lágrimas, às vezes em palavras quando desabafamos... Quando a gente guarda tudo isso é como represar nossas frustrações, medos, tristezas e o estrago é bem grande...
Não vale a pena querer ser o que não somos, respeite o seu direito de ser frágil, respeito o seu direito de ser humano... Estou dando apenas os primeiros passos, caio muito sabe? Meu corpo está todo comprometido pela minha teimosia em tentar ser quem eu nunca fui... Mas hoje eu aprendi a respeitar minha fragilidade.

Vou deixar aqui com vocês um vídeo de uma canção que se interpretada diz muito do texto acima e que eu amo...

“Quando eu soltar a minha voz por favor entenda
Que palavra por palavra eis aqui uma pessoa se entregando
Coração na boca, peito aberto, vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida que eu estou cantando...” (Gonzaguinha)


LEIA MAIS

Receita: Pesto Vermelho

Olá a todos!

Olha eu aqui mais uma vez com uma receitinha pra vocês. E não é qualquer recita não, é A receita. Ontem a noite eu fiz esse molho, Pesto Vermelho, que ficou tão bom, mas tão bom que eu tive que vir aqui compartilhar. Mas primeiro o que é "Pesto Vermelho', Gisele?
Bem, creio que todos conhecemos o molho Pesto tradicional, feito com manjericão, que por si só já é maravilhoso. Então, o pesto vermelho nada mais é que a adição de tomate seco - e pimenta ou pimentão assado em alguns casos - à receita original do pesto verde.
Eu nunca tinha ouvido falar desse tipo de pesto, mas vendo uns videos de receitas no YouTube (é o que eu mais faço na vida, ver receitas. Haha.), eu descobri essa belezura e resolvi fazer em casa. Quase morro de tão delicioso que tava. Vamos a receita?! 

Ingredientes:
1 xicara de tomate seco
1 xicara de manjericão fresco
1/4 ou 20g de noses ou castanhas ou amendoim
1/3 de xicara de parmesão (ralado na hora)
1/3 de xicara de azeite extra virgem
3 dentes de alho
1 pitada de sal à gosto
1 pitada de pimenta preta (moida na hora) à gosto
1 pitada de pimenta vermelha em flocos (opcional)
1/2 pimentão assado (opcional)

Modo de preparo:
Em um processador (pode ser liquidificado ou mixer também), misture todos os ingredientes - menos o parmesão e os temperos, sal e pimenta - com metade do azeite. Pare o processador limpe as laterais e veja se precisa adicionar mais azeite ou não. Se precisar, adicione o resto, bata mais um pouco e ao final adicione o parmesão e misture à mão mesmo. Prove e adiocione o sal e a pimenta à gosto. 

Super fácil né?! Agora algumas dicas:

- Não encontrei tomate seco no supermercado, então peguei 3 tomantes, cortei-os em fatias grandes, os coloquei em uma assadeira e temperei com bastante sal, pimenta preta - moida na hora - e azeite e deixei no forno por 40 min em fogo alto (230 - 250ºC). O forno tem que estar pré-aquecido nessa mesma temperatura. Que tomate maravilhoso! Inclusive vc pode usá-lo para fazer sopa, canapés e etc. Fica delicioso e deu um toque todo especial no meu molho. Deve ficar ótimo com tomate seco também, mas o sabor deve ficar mais forte.

- Não usei todo o azeite que pede na receita. Todo molho pesto é bem carregado no azeite, mas aqui eu já adicionei o óleo que soltou do tomate (se você usar o tomate seco é bom usar um pouco do óleo dele também, o sabor é especial!), então se jogasse logo tudo que a receita pede de azeite iria ficar demais. Por isso, o utilize com cuidado.

- O mesmo cuidado vale com os tempeiros. O tomate assado e o tomate seco já são bem salgados e apimentadinhos, assim como o parmesão. Então só depois que tudo estiver misturado é que você deve checar o sabor e ver se precisar adicionar mais ou não.

- Não usei pimentão aqui, mas se você for usar, é só fazer a mesma técnica que usei com os tomates ao forno que vai ficar uma maravilha.

E é isso! Ontem, tratei logo de cozinhar um macarrão para comer com o pesto e foi só vitórias e alegrias. O pesto está estocado e já tenho planos para saladas, canapés e outras receitas. O pode onde você vai guardá-lo deve ser esterelizado e a tampa deve ficar bem firme. Ele dura cerca de 1 mês, bem conservado e até 2 meses se congelado.


LEIA MAIS

A gente cresce...



É impossível atravessar a vida sem dificuldades..
…sem que uma amizade cause decepção, sem padecer com alguma doença, sem a perda de um ente querido..sem sofrimentos...
O mundo que vivemos é assim.
Porém, o importante não é o que acontece, mas como você reage.

Você cresce quando não perde a esperança, nem diminui a vontade, nem perde a fé.
Quando aceita a realidade e tem orgulho de vivê-la.
Quando aceita o que deixa para trás, construindo o que tem pela frente e planejando o que está por vir.

Cresce quando supera, se valoriza e sabe dar frutos.
Cresce quando abre caminho, assimila experiências, e semeia raízes…
Cresce quando impõe metas sem se importar com comentários maldosos a seu respeito ou julgamentos; quando dá exemplos sem se importar com o desdém, quando você cumpre com seu trabalho… Quando você é capaz de amar mesmo quem não se importa com você.

Cresce quando é forte de caráter, quando enfrenta o inverno mesmo que perca as folhas, colhe flores mesmo que tenham espinhos e marca o caminho mesmo que se levante o pó.

Cresce ajudando seus semelhantes, conhecendo a si mesmo e dando à vida mais do que recebe.

E assim se cresce…..
Você vale pelo que é e não pelo que tem ou aparenta ser.
LEIA MAIS

Mal humor é doença?



Você acorda de mal humor?

Pior que isso, você fica de mal humor com gente que acorda de bom humor? Cantarolando? Te cutucando, te chamando aos gritos para sair, abrindo a janela e gritando: “BOM DIA, DIA!!!”

Pois é sou dessas!!! Preciso acordar aos poucos, devagar... Se tiver uma coisa perfeita na série Stranger Things é a frase “Manhãs são para café e contemplação”.

Hoje é dia de falar de saúde e até onde mal humor pode ser doença?

Se o seu mau humor é frequente de uma maneira quase desesperadora, há grandes chances de isso ser algo mais sério do que você imagina: uma doença real, que atrapalha a sua convivência social e que precisa sim de um tratamento adequado.

Segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), 3% da população mundial – cerca de 180 milhões de pessoas – sofre de um distúrbio psicológico, a chamada distimia (A distimia é uma palavra que vem do grego. Significa mau humor e durante muito tempo foi usada para caracterizar a pessoa mal humorada, que está sempre irritada e de mal com a vida. Hoje em dia o termo já é empregado para assinalar um distúrbio).  Se ultimamente você tem se sentido desanimado, triste, sem energia, irritado, com estima baixa e com dificuldades para dormir, fique alerta: você pode fazer parte dessa estatística.

O sintoma principal é a irritabilidade, mas existem outros fatores, como baixa auto-estima, desânimo, tristeza, predominância de pensamentos negativos, alterações do apetite e do sono, além de falta de energia pra agir, isolamento social e até mesmo tendência ao uso de drogas lícitas, ilícitas e tranquilizantes”, diz a psicoterapeuta Myriam Durante.

Segundo a psicóloga Camila Lameira, as pessoas podem apresentar sintomas relacionados ao estresse de forma diferenciada, pois a vulnerabilidade varia de acordo com a estrutura psíquica de cada indivíduo. “As mudanças de  humor dos homens pode ser resultado da queda súbita dos níveis do hormônio masculino, a testosterona”.

Existem outras causas determinantes que afetam o humor: 10% são as circunstâncias da vida, isto é, acontecimentos felizes ou não, 50% é genética e 40% são as atividades intencionais. Entre estas atividades estão ser otimista, focar nas metas pessoais, cultivar relação com outras pessoas, práticas espirituais e ações relacionadas com o corpo.

O importante é, quando perceber um quadro geral da doença, procurar ajuda médica para diagnosticar o distúrbio. Em muitos casos a ajuda de um bom psicoterapeuta já é capaz de curar a doença. Em outros, mais graves, é necessário também o uso de medicamentos. Praticar atividades físicas que liberam endorfina e serotonina também ajudam a melhorar o humor, além de aumentar a autoestima.

Nós de uma de uma forma geral acabamos acostumamos a lidar com a pessoa mal humorada e o “ranzinza” se torna até uma pessoa engraçada, mas, como essa pessoa está vivendo? Qual é a qualidade de vida dessa pessoa constantemente insatisfeito? Uma coisa é você gostar de ter um amanhecer calmo e se permitir isso, outra é você se tornar uma pessoa 24 horas por dia infeliz...
Mesmo que nós sempre tenhamos a intenção de trazer os assuntos de forma leve, todos os assuntos são baseados em fontes confiáveis e sérios.

Agora um comentário meu, vocês já notaram como as pessoas estão muito mais sérias e até menos sociáveis?
Hoje é um dia de saudade, sim eu sei. Mas, de uma forma geral, vamos doar sorrisos? Não custa nada e muda o dia de alguém. E como já dizia a canção, “é melhor ser alegre que ser triste...”

Beijokas amoras (es)

Fontes: R7e Globo.com

LEIA MAIS

Esse tal amor!



O amor é tão incompreensível e inexplicável...

Transforma as pessoas, as faz ver o mundo melhor e mais bonito...

Quantas vezes não pensamos: “não vai dar certo...” Mas, o amor revela-se nas formar e nos gestos mais inesperados...

Você já notou como as pessoas mudam ? Aquele turrão vira um ser doce, amável...

E aquela intragável? Revela-se uma apaixonada incorrigível!!!

Quem quer viver o amor precisa se adaptar ao outro.

O amor requer ajustes... Passar pelos encontros, desencontros, diferenças e medos que envolvem tudo nem sempre é fácil. É um constante ceder, permitir por paixão, tolerar por carinho...

Nos tempos de hoje, com toda independência de homens e mulheres, as liberdades conquistadas, espaços precisando de respeito, custamos acreditar que exista um envolvimento verdadeiro, mas, o amor não “da eco” as modernidades, ele é romântico, 'caretinha' mesmo e não 'ta' nem ai para o que os outros pensam... E, não adianta tentar fugir, ele é poderoso, forte mesmo, quando pega, toma conta, domina!

Pode até parecer inconveniente, mas...

“Você precisa decidir se vai se render e viver essa loucura, ou se vai resistir e se privar de momentos especiais, ”momentos que valem mais que uma vida”!

Quem não é meio brega às vezes? O amor é!!! Daqueles que canta musica romântica, curte uma “fossa” daquelas e ainda sorri sozinho ao lembrar os momentos especiais...

Se você não o conhece ainda...

Ahhhh que pena!!!

Não desista. Sentirá ódio às vezes, porém com todos os defeitos, ele é tudo aquilo que sonhamos... E atende pelo também pelo codinome... FELICIDADE.

LEIA MAIS