Medo de dar errado ou ser feliz?

em 4 de outubro de 2016



É inexplicável como as vezes nos rendemos ao medo. Medo de coisas que até “ontem” eram normais, rotineiras...
As vezes o medo não é ruim, ele pode nos livrar de coisas horríveis... E, se pensarmos só chegamos aqui, porque nossos antepassados sentiram medo e lutaram para sobreviver aos perigos. O problema é quando o medo te aprisiona, massacra e nos faz reféns de nós mesmos, dos nossos maus pensamentos. Muitas vezes o medo é fuga, somente fuga. Ele vem para que não se enfrente as adversidades, afinal, é melhor permanecer na zona de conforto.

Tem medo de assalto, medo de doença, medo de perder quem amamos... São medos reais! Contudo, no mundo que vivemos as pessoas tem cada dia mais medos de suas fantasias, medo de coisas que somos impotentes diante delas, pois não temos como evitar. Tem medo que é utopia, medo por antecipação... Medo do desconhecido!

Ahhh o desconhecido...

Esse desconhecido é um verdadeiro podador de felicidade. Quantas pessoas você conhece que poderiam estar melhor em sua vida, de uma forma geral se não fosse o medo? Se arriscasse mais? Existem momentos em que eu acredito que temos que pensar em duas respostas e daí pode ser mais fácil. “O que eu perco em arriscar?”, ou, “Se eu não tentar, o que eu poderei dizer no futuro? Não deu certo, mas tentei? Ou nunca soube se daria certo porque fui covarde?”

Esse é o ponto que vai diferenciar o medo de antecipação, do medo realista. Pois se houver motivo para não tentar, então a escolha por ficar estagnado é saudável.

Tem gente que tem medo de gente. Você conhece alguém assim? Pessoas que em geral parecem ter medo do outro, tem na realidade medo de si. Por se conhecer ou desconhecer seu próprio eu. E, a saída mais fácil é fugir... Tem gente que tem tanto medo que cria situações para afastar as pessoas, pois até ele acredita no que criou e assim sente menos culpa, mas culpa é assunto para outro dia.

Eu, as vezes tenho medo de mim. E fujo sim de situações que me serão prejudiciais... Às vezes evitar pessoas que te tiram do sério, “rodinhas” que afetam seu humor, aquele bate papo que você sabe que vai acabar falando “a sua verdade” e assim, conflitar com os outros, é mais inteligente.

Tem uma situação na vida, a qual, é terrível ter medo...

O medo de viver. 
De amar. 
De ser você.

Viver solitário ou aprisionado porque “não sabe”, é pior que saber que errou! Não viver algo porque pode dar errado, é não viver! E, não existe justificativa para estar vivo sem viver...

Pode parecer um papo de doido tudo isso, mas, minha cabeça é assim mesmo, meio maluca e pensante em excesso. E, por falar em pensar, me pego pensando... Quem não vive dirá o que quando “o ser superior” que nos criou perguntar: “O que você fez com a vida que te dei?”

Assumidamente esse é o maior dos meus medos, porque cada um desses medos eu já conheço e sei de suas contra indicações... No corpo! Acreditem...

Não há quem possa dizer que “perdeu o medo”, mas isso é um exercício diário. E como todo exercício faz um bem enorme, só que esse faz bem pro corpo e aperfeiçoa a alma.

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!