Codependência

em 13 de outubro de 2016



Depois de tudo, de todas as palavras doces...

A ira falou mais alto.

A não aceitação do amor que advém do outro é tão grande, que se ofende em palavras... Em gestos e na falta deles.

Receber amor causa dor? Sim causa... De experiência própria eu afirmo.

É tamanho o desconforto que para fugir do cuidado e do amor (inadequado), oferecido gratuitamente, se usa a dor de forma agressiva. Se faz desafeto o afeto inegável.

E, depois questiona-se, fere-se, sofre, mutila-se e afasta pessoas que só fazem o bem. E, aponta-se o dedo para os defeitos que sequer se tem certeza da veracidade.

Dislexia Emocional ou Codependência!!! Podemos chamar de “morte da alma”.

Só que podemos dizer que existe o milagre da ressurreição nesse caso.

Em alguns casos não.

Não se faz milagre, quando o orgulho mata a facadas ‘violentas’ a capacidade de voltar atrás!

Houve um tempo, em que tanto era dito em entrelinhas, mas, foi substituído por falta de sentido.

Há quem ainda confunda, pois jamais viveu a entrelinhas, mas, quem as conheceu, reconhece hoje a confusão, o vazio interior... Não existe mais sentido, não existe mais entrega e nem amor, nem por si e menos ainda pelo outro.

Sorriso vazio, atitudes de desespero, desespero de "fingir" estar bem... Desespero de ferir o outro.

A morte da alma, ainda que a vestimenta seja florida (duvidável), que os lábios sorriam, os olhos permanecem vazios, entregue a dor dos fracassos pessoais.

A causa? A não aceitação dos fracassos humanos, aos quais todos estão sujeitos... A falta de coragem de enfrentar os percalços, os entreveros de uma vida comum como um ser humano responsável.

A co-var-di-a!

A agressividade e a “fingida” certeza da indiferença do outro em nossa vida.

O abandono, de pessoas, de parentes, até das palavras.

Onde está a intuição?

Onde foi morar a inspiração? De quem é vizinha agora?

Muitas vezes dar um passo atrás é para dar impulso para se caminhar uma vida pra frente!

Joga fora a culpa, a arrogância, a “inadequadez” (perdoem o neologismo)...

Joga fora o medo de não ser capaz de...

Joga fora a venda que lhe cobre os olhos e lhe tira o esplendor do colorido de viver...

Que lhe rouba a paz, a fé e os sorrisos alegres... Verdadeiramente alegres.

Preocupe-se com quem ainda lhe dedica amor... Pois, enquanto há vida, há esperança.

Tira a alma do coma, abraça-te a vida e segue...

Segue!

Segue pois dos teus passos depende muitas multidões de cada um.



0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!