Sentidos...

em 11 de setembro de 2016



- Nem acredito que dormiu, estou exausto! – Disse os olhos...
- Isso porque você não ficou sendo apertado o tempo todo, me sinto em chamas! – desabafou o nariz...
- Eu estou me sentindo mal, toda rígida, tensa, comprimida, parece que tem algo atravessado em mim, céus que mal estar. – reclamou a garganta.
- Eu não quero nem ver como estarei dolorido amanhã, poxa dentes poderia ter pegado leve né? - Disse os dedos.
- Não me enche, trata isso com seus amigos ovários, afinal você já deveria estar acostumado. – respondeu os dentes.
- Não me venha com acusações infundadas, dessa vez eu estou quieto, não fiz nada para todo esse tsunami! – Defendeu-se o Ovário.
- É verdade, dessa vez nós não sabemos o que houve, mas aqui esta uma calmaria e tanto, entediante... – Confirmou o útero enquanto lixava as unhas...
- EMOÇÃO!!! – Gritou a razão já com a mão na cintura! – QUE DIABOS ESTÁ ACONTECENDO?

Durante aquele longo silêncio a tensão era quase palpável, ela sempre tão faladeira, disposta e cheia de razão, calada? Devia ser de fato sério!

- Ah gente! É depressão... Eu estava tentando evita-la, mas, foi em vão... – Disse por fim a Emoção.
- Depressão? Não! É algo mais, estou trabalhando muito além das minhas forças, acelerado mesmo e não estou conseguindo, tem algum vazio aqui também, não pode ser coisa só do psicológico. – Manifestou-se o coração.
- E não é. – Informou o cérebro. – Isso Dona Emoção, é mais que depressão, é “decepressão”.
- "Decepressão"? Eu sei que você é metido a sabe tudo caro colega, mas isso é um neologismo, essa palavra sequer existe. – Ironizou a emoção.
- É, tem razão, acabei de inventar, mas não existe nada que possa definir melhor o atual estado dela. E você sabe quem tem culpa disso?
- A Emoção claro! Dia após dia eu tenho dito para ela não se meter no bom andamento das coisas, mas, não pensa, não pesa os prós e contras, não age em parceria com a sabedoria e dá nisso, decepção, dor, tristeza... – disse enfurecida a razão.
- Pera lá! Pode ir parando aí mocinha! Você esteve pensando muito a respeito das coisas que ela acreditou e você também se envolveu, esqueceu até de mim, teve um pé atrás no começo, mas depois até você relaxou, achou que estava tudo certo, esta sendo injusta comigo, e não vou te perdoar, não mesmo, nunca mais! Ingrata! Incapaz de reconhecer sua parcela de culpa! Se errei foi tentando acertar, não é justo agora me sacrificar, era tudo tão lindo, era perfeito, eu nem me meti demasiadamente dessa vez, eu fiquei deixando você livre e você me vem com essas acusações injustas! Sua, sua, sua... – E assim caiu no choro a emoção...
- Hey parem! – Chegou à sabedoria. – Todos nós temos parte de culpa nisso tudo. Razão pare de acusar, você também achou que tudo estava no controle dessa vez. É preciso entender que a emoção nunca vai deixar de ser otimista, romântica incorrigível e agir no impulso, mas ela vem tentando se comportar. Senhor cérebro, muito bem colocada a nova palavra, “decepressão”.
- Mas, Senhora Sabedoria, o que esta acontecendo e o que podemos fazer? - Falou por fim o ego.
- Que bom que chegou Senhor Ego, precisaremos muito de você, espero que esteja pronto, e onde esta o Orgulho?
- Aqui.
- Ótimo e o Respeito e Amor Próprio?
-Aqui.
-Aqui senhora.
Que bom. – continuou a sabedoria – Diante desse momento de Desânimo...
- Me chamaram? - Disse o desânimo, sem disfarçar seu tom de maldade.
- Cale a boca Desânimo. Vou dizer só uma vez, faça o favor de manter-se adormecido nos próximos dias, você já fez estrago o bastante! – Repreendeu a sabedoria.
- Sim senhora.
- Vejam, dessa vez não são somente crises e dores internas, existem fatores externos, estivemos conversando eu e a Dor, e trata-se de um ferimento muito sério. Algo que pode mudar sua vida, sua ...
- Ah não! Jamais, eu não vou... – Disse com determinação a .
- Faça-me o favor de ouvir! – Perdendo a cabeça a Sabedoria, sabia que não seria fácil!

Quando o silêncio retornou ela prosseguiu:

- Bem! A dor me contou que ela foi atingida por algo que foi o gatilho para toda essa demanda de descontrole.
- É verdade, eu sinto uma sensação como se uma adaga cortasse minha carne, a deixando em carne viva. – Disse o Abandono.
- Pois bem. – prosseguiu a Sabedoria – Não é a primeira vez que lidamos com isso, mas a reincidência nós faz mais fracos para lidar com tudo. Mas, não deixaremos de tentar. O que a fez cair dessa vez veio de fatores externos, inadequadamente. Foi tão duro o trabalho da confiança, da auto estima, da valorização, do auto controle, e palavras fizeram tudo ruir!
- O que faremos agora? - Disse a razão.
- Eu, eu não sei o que fazer, não sei como agir, ela não me escuta! – choramingou a Emoção.
- E, não vai por mais um tempo emoção. Feridas abertas demoram a cicatrizar. – Disse com paciência a sabedoria. - O que vamos fazer é, unirmos e trabalhar em uma recuperação ainda que parcial, ainda que um pouco a cada dia, sem jamais fraquejar, afinal, estamos aqui pra isso! Otimismo?
- Sim sabedoria.
- Esta pronto para um trabalho duro?
- Sempre!
-Ótimo.
-Vaidade?
- Sim! –Respondeu enquanto segurava seu espelho de ouro.
- Terá que ter força. Terá que encontrar novos objetivos e ser convincente!
- Oh sabedoria, sabe que sou maravilhosa em tudo que faço, perfeita, irrepreensível, doce, irresistível...
- Ok chega! Faça sua parte! – A Sabedoria prosseguiu. – Mas existe um que terá um trabalho árduo e cheio de desafios. Confiança?
- Sim sabedoria.
- Terás que fazer coisas improváveis, mas não impossíveis... Aliado ao amor próprio terá que a fazer acreditar em si, a ponto de compreender que só quem perdeu em tudo isso é quem não mais contemplara seu sorriso de amor.
- Eu? - chegou o amor com seu perfume invadindo tudo, rosa vermelha na lapela e olhar de conquistador.
- Você!!! – Enfureceu-se a sabedoria. – Mantenha-se longe. Dê tempo a ela, deixe-a esquecer a dor! Pode fazer isso?
- Ok, ok, senhora sabe tudo. Já estou partindo. – E se foi!
- Vamos dar o melhor de nós? Vamos fazer todo o possível para melhorar a situação para todos nós? - Disse calmamente a sabedoria.

O coro foi imediato.

- Sim.
- Sim, com prazer.
- Sim, com todas as minhas forças e dedicação, com meu sangue se preciso for...
- Chega emoção. E faça-me um favor, controle-se!
- Sim senhora!
- E o que eu faço com essa palidez e olheiras quando acordar? - Perguntou ajeitando os cachos do cabelo a vaidade.
- Ela não vai olhar, nem vai dar atenção por um tempo. Agora vamos, logo o dia começa e temos que estar todos juntos nessa missão. Despediu-se a sabedoria.

Quando ela partia, o cérebro a segurou pelo braço e lhe disse baixo e calmamente.

– Respeitosamente senhora, porque isso acontece? Porque eu tenho acompanhado pensamentos assustadores, aos quais não achei pertinente comentar. Porque tantos sentimentos intensos?

E a sabedoria respondeu...

- "Porque ela é mulher, e mulher não tem definição, não tem justificativa, não se entende, nem se tenta. São seres especiais que vivem no limite das emoções, que desejam amor na mesma proporção que sabem doar...
Porque ser mulher é sentir todas as dores, derramar lágrimas até dormir e ainda assim sorrir todas as manhãs!"

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!