Medos...

em 13 de setembro de 2016



"O que são medos? São artifícios, desculpas que usamos no nosso dia a dia para fugir das conquistas mais trabalhosas da vida, ou... Até mesmo uma forma de punição... Sim, isso mesmo!

Às vezes nós não nos achamos dignos de viver certas coisas na vida e ai ele vem...

“O Salvador!!! Ohhhhh... O MEDO”...

Ele vem para nos frear, atravancar a nossa vida... Aí ficamos naquele impasse, sabe aquela frase antiga... “Nem faz o serviço, nem desocupa a moita?” É bem isso! Mas não é simples assim, por vezes e vezes abrimos mão de coisas que são fundamentais para nossa felicidade, quando não de pessoas que fazem uma diferença entre a nossa felicidade ou a falta dela! E isso traz outro mal, “a culpa”! Mas isso é lance pra outros 500!

O foco hoje é o medo, que não é um pecado, que não é um mal absoluto, o medo nos impede de cometer muitas imprudências, nos faz pensar e ponderar, ele só não pode dominar a nossa vida, reger o nosso caminho e transformar a nossa existência num completo vazio. Essa coisinha com nome pequeno (medo) enche os consultórios dos terapeutas, porém, é difícil lidar com ele, quando se tem medo dele mesmo... Difícil? É muito! Vamos esmiuçar a coisa...

Imagine que você tenha medo de se expor, chegar a um terapeuta onde busca ajuda, já será um parto, imagine abrir o baú onde trancou os seus medos e ir tirando-os um a um para trabalhá-los e assim, vencê-los! É uma guerra. É uma luta pessoal, uma luta mesmo, onde as dores são físicas, pois o nosso lado emocional bate e bate com força! É a sua defesa!

Porém é dessa luta, desse desafio, dessa força que precisa nascer de dentro de você que vai depender toda sua vida, felicidade, a realização dos sonhos, daqueles que você sequer teve coragem de revelar um dia a alguém!

Que fiquei claro, o lado intelectual, nada tem a ver com o lado emocional, porem eles andam em linhas paralelas, porém nem sempre as paralelas se acompanham... Em geral pessoas com esse perfil, possuem a paralela do intelectual infinitamente avançada em relação ao emocional, o que não o torna em nada inferior, mas, poderia ser tão mais feliz!

Quem na vida já não foi escravo do medo? Mas, a sua carta de alforria é só você quem pode assinar... Pega essa mão que esta estendida, perde o medo e confia, tenta!!!! O único risco que você corre é de dar certo e você ser feliz, porque pior que esta não vai ficar...
Liberte-se de medos que parecem “fantasmões” e nem são tão grandes assim e com eles de risco de vícios desnecessários...

Eu não tenho medo, nem do ódio que por amor, você possa sentir de mim!

Liberte-se, para ser feliz!”

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!