Mulher e menina...



Eu nunca entendi quando as pessoas diziam, “meu corpo sente a idade, mas na minha cabeça eu sou jovem”!!! Há um tempo eu tenho vivido de acordo com a minha idade mental, mas nunca me dei conta do tamanho dessa fuga... E como há magia nessa maturidade mental e espiritual!

A gente percebe que já não é mais uma menina, quando não acredita em tudo que lhe falam...

Já não pode crer no que não vê e não aceita a distância, se não for segura.
Ou em coisas simples, quando as pessoas vêm tirar dúvidas com você, ou quando você aprende á pensar um pouco mais antes de emitir qualquer opinião... A abrupta reação sem pensar já machucou bastante!

Você percebe que você não é mais uma menina, quando vai conversar com alguém e fala e percebe que o outro não está entendendo e começa explicar e vai longe e vai fundo, do nada pensa: “nossa eu sabia tudo isso”?

Quando as palavras são mansas e calmas ainda que por dentro exista um vulcão em erupção... As pessoas dizem “pergunta o que ela pensa disso”! Ou amigos chegam e dizem: “Preciso de ajuda”! Ou quando você observa mais do que fala, certos comentários são dispensáveis! Quando ao ouvir coisas sem pé nem cabeça, ao invés de rebater, analisa se vale a pena, e por vezes apenas fecha os olhos e respira fundo.

Uma mulher se torna mais interessante quando atinge uma certa idade, não só porque viveu muitas coisas em 35, 38 ou 40 anos, mas porque ela atinge a fase de ter ainda vigor físico, com muito mais conhecimento. Outras tantas, ainda tem o bônus do “time” e a paz da paciência. Nessa fase da vida, uma mulher pode ser “menina”, doce, suave, brincalhona...

Mulher, olhar decidido, segura, firme... Aquela pessoa que pode dar uma resposta docemente, atrevida, divertida ou irônica no tom certo, sem exceder os limites da boa educação...

Hoje é nessa fase que as mulheres estão se tornando mães, dá até esperança no futuro... Que venham seres melhores de fontes tão puras e ricas!

Você já viveu a intensidade de um abraço desses? Uma mulher nessa fase, sabe como ninguém aninhar seu amado... Acalmar e encostar sua cabeça sobre seu coração... Ouvir tudo sem julgar... E, transmitir paz e dizer todas as palavras necessárias com o olhar... É um envolvimento de paz... Sabe não cobrar, não ser possessiva ao extremo, mas isso não é ser permissiva! Certas normas de respeito e lealdade são regras pra toda vida. Essa mulher lhe dirá coisas suaves, lhe mostrará caminhos, dividirá a dor e te fará dormir sobre nuvens...

Mulheres nesse nível, não se deixam abater com tribulações ocasionais, ela tem além da fé, a convicção que na próxima curva, “as melancias se ajeitam na carroça... ’ Não há desassossego que dure para sempre... E se, ela dará um fim a ele. Com um sorriso calmo.

Tem o olhar atento, porém discreto...

Tem seus momentos, se permite viver cada coisa sem culpas... Sair com amigas e chutar o balde. Ficar o dia todo na cama. Ir à academia e exceder, ou não ir, simples assim... Chegar em casa e se permitir ficar só com seu silêncio e comer chocolate na TPM. Fazer novas atividades para superar uma dor... Sorrir de si mesma... Olhar no espelho e entender que o viço nem é mais o mesmo, mas por traz disso tem um charme que o tempo e as experiências lhe acrescentaram... Tem mais equilíbrio em tudo que faz, até a maquiagem... Ousa pouco, mas quando se arrisca, faz calculado, faz com conhecimento... Leviandade não tem lugar nessa fase!!!

Sua paz não tem preço, nem seu silêncio, menos ainda sua liberdade...

As lutas profissionais permanecem, mas já não é prioridade! Assim como não tem prioridade as futilidades...

Mulher, menina... Mulher, responsável... Mulher amante... Mulher que abraça para acalmar, que sabe olhar as pessoas e se permite dar uma segunda chance... A mulher amiga, que respeita e simplesmente diz, “sabe que pode contar comigo”?

Só uma coisa fará você perder essa menina, mulher com sabedoria de velhos, perca sua admiração... Ela perdoará uma, duas vezes, e depois, ela fechará a porta, viverá o luto da perca... Depois disso, não duvide, ela vai levantar, banhar-se, usar o melhor hidratante que tem, colocar uma lingerie linda, maquiagem e perfume favorito e vai para a vida, sem medo, sem receios, carregando na sua biblioteca sentimental mais um capítulo da sua biografia... Não rasgará as paginas, é preciso ter registro, das vezes que se levantou e deu o primeiro passo, ainda que não sem dor!

(19 Agosto 2013)


LEIA MAIS

The Catching Kind (Brew Ha Ha - 3) - Caitie Quinn



Olá meninas e meninos,

O blog está de volta, de cara nova e nada melhor que uma resenha novinha em folha para comemorar!

The Catching Kind (Do Tipo Que Pega - em tradução literal), foi lançado em 2015 e eu nunca tinha lido nada de sua autora, Caitie Quinn. Sem querer, vi uma resenha dele no meu feed do GoodReads, e li umas palavrinhas mágicas que me cativaram instantaneamente: slow burn romance, que é aquele tipo de romance que vai acontecendo aos poucos, quase sem perceber.
Nesse novo mundo literário onde o insta-love é super celebrado, esse tipo de romance é uma raridade. Não me entendam errado, dependendo do meu humor, adoro essas histórias onde o mocinho olha a mocinha pela primeira vez e já sai dizendo: "Ela é minha!", mas depois de um tempo isso cansa e você quer ler algo com mais realismo. E esse livro caiu como luva no que eu estava precisando no momento.
Tão bom, tão romântico e engraçado. O livro não tem qualquer cena de sexo e eu nem liguei. Não precisou. O relacionamento deles, como ele cresceu da desconfiança ao respeito, à amizade e, então, ao amor, foi mais do que suficiente e eu amei cada palavra.
Connor é um jogador de baseball super famoso, mas que se meteu em uma confusão e agora precisa limpar a sua imagem. Hailey é uma escritora, tímida, introvertida, que não quer nada com esse mundo de celebridade que o Connor vive, mas por causa de um acordo entre os seus agentes - e porque a fama dele vai beneficiar a sua carreira também - ela aceita que eles finjam estar namorando por um mês.
O primeiro encontro deles é desastroso, mas de pouquinho em pouquinho, vamos conhecendo a verdadeira personalidade de ambos. E olha, é apaixonante. Connor não tem nada da persona que ele faz pras câmeras, ele é super carinhoso e educado. Hailey é uma fofa e com todo o furacão que o Connor trás pra vida dela, aprende a se impor mais e eu amei isso! Claro, que eles se apaixonam, né? Mas essa transição é muito natural, linda e divertida.
O que foi a declaração de amor do Connor no final do livro??!! Meu coração não aguenta essa doçura toda. Amei e recomendo demais. Por enquanto, ele só tem em inglês, mas quem sabe logo logo um grupo de tradução ou uma editora pega ele, né?! E se você arranha no inglês, se joga e depois me conta aqui o que achou!

The Catching Kind por Caitie Quinn
Série: Brew Ha Ha #3
Romance Contemporâneo
Lançamento: 13/01/2015
Skoob | Goodreads
Amazon | Cultura 



LEIA MAIS

Soltos na vida




Às vezes estamos soltos na vida, ou amarrados as nossas acomodações e conhecemos pessoas que chegam e balançam a nossa arvore e fazem cair às velhas folhas de dores, medos e nos mostram o caminho de novos brotos de esperança…

Tira de nós aquela trave que atrapalhava a nossa visão e a tornava periféricas, cheias de entraves que impediam de ver coisas tão obvias e tão cheias de brilho… Só que sair do casulo dói, desamassar as asas... nossa! É quase insuportável e às vezes as descobrimos meio atrofiadas aqui e ali, meio tortas, com cicatrizes, porém o bom ânimo e a disposição nos fazem crer que chegaremos lá…

Com um pouco mais de tempo, percebemos que ninguém possui asas perfeitas, mas, que ainda assim, são capazes de voar e quando usam da sabedoria, alçam lindos e belos vôos… Por vezes, esquecendo-se da cera, derretendo-a, caindo, despencando de grandes alturas, mas ainda assim sem desistir e/ou com apoio, amarrando de volta as penas, renascendo das cinzas e reaprendendo a voar e pouco a pouco, suportando as dores, reconquistando a confiança e voltando a exibir com orgulho, suas asas cicatrizadas, porem eficientes!

Déia Neves
23 Julho 2013
LEIA MAIS

Exposição de Lego na Oca - Indico



Oi Amoras e Amores,

Vocês já ouviram falar da exposição The Art of The Brick®, do artista americano Nathan Sawaya? Pois é!!! Minha amiga Ana Paula estava maluca para ver e eu como boa miguxa que sou, tive maior prazer em ir com ela e olha gente é babado! rsrs...

É muito legal, impressionante tudo que esse artista faz com aquelas pecinhas que eu nunca consegui fazer absolutamente nada... Mas olha eu vim aqui indicar para vocês, especialmente você que curte desenvolver suas habilidades e também você que curte obras de arte vai encontrar várias delas reproduzidas em lego, como “O Pensador”, de Rodin, a “Vênus de Milo”, “O Grito”, de Edvard Munch – em que as mãos e cabeça explodem para uma terceira dimensão – e “O Beijo”, de Gustav Klimt e até mesmo "Noite Estrelada" de Van Gogh, devo dizer que minha preferida na vida!


















Se você se animou, segue os dados:

LOCAL: OCA / Parque Ibirapuera

HORÁRIO: Terça a Domingo das 11h00 às 20h00 (Fechado às 2ª feiras). A bilheteria fecha às 19h.

De 11 de agosto a 30 de outubro

PREÇOS: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia entrada)

Professores não pagarão ingresso – qualquer dia e horário – mediante comprovante de 2016.

Canais de venda:  www.ingresse.com
LEIA MAIS

Meu velho...



Oh pai...

Querido, amado velho...

Tantos anos eu usei a seguinte frase: “Tenho tantas coisas pra te dizer, mas, vou dizer uma que resume tudo, te amo”! Mas, hoje eu não vou dizer isso, eu vou te dizer coisas que nunca disse. Coisas que eu não tinha maturidade pra entender o valor, hoje pai eu vou dizer pra todo mundo porque eu te amarei eternamente...

Lembra quando você chegava do trabalho e eu corria para o portão pra te abraçar? Então, eu amava quando você me pegava no colo, e devagarinho me deixava ir escorregando pelas suas costas e me segurava pelos pés, de cabeça pra baixo... Sabe? Eu amava, gritava e sorria, mas eu sabia que você nunca me deixaria cair...

Aquela vez pai, que você brigou e me colocou de castigo, mas no dia seguinte chegou com muitos chocolates pra me agradar? E quando eu comia creme de amendoim e morria de alergia e você ficava muito bravo? E aquela vez que eu viajei e cheguei em casa com febre e você chorou, acho que você ficou muito pior que eu...

E quando você ia pescar e não tinha coragem de não me levar, só pedia pra eu parar de falar um pouco pra não assustar os peixes? Pois é eu nunca ficava calada né? Desculpa...

Quando você me levava pra rádio com você e, fazia questão de mostrar aquela menininha cheia de laços e dizer que era sua filha... E aquele ovo de pascoa que você comprava pra mim e, ainda me levava pra escolher... Ele não era o maior pai, mas nenhum ovo maior e mais caro é tão bom!

E todas as vezes que você me disse que NUNCA MAIS ia me dar as bonecas que eu queria, rs, porque eu dava banho e cortava os cabelos delas, mas você sempre dava outra! Ia me buscar na escola e esquecia-se de levar a minha mochila e a mamis brigava... Sem contar a sua cara quando viu que eu tinha cortado o cabelo que você achava lindo... Ou quando eu rolei 22 degraus, ou prendi o dedo na embalagem de batom, você nunca reclamou de ter que correr comigo para o hospital, acho que você não ia né, você chorava, rsrs

Ehhh pai, lembra quando você comprou aquele tênis "adidas" lindo, branco e rosa, que eu queria tanto? Pois é pai, você comprou 37 porque eu estava crescendo e meu pé nunca passou de 35, rs... Esse seu jeito atrapalhado, eu também amei!

Quero te dizer que eu jamais terei palavras para agradecer os sonhos que você abriu mão por mim... Seus desejos suprimidos em função de sua família e ainda assim jamais achar pesado, porque tudo e qualquer coisa era motivo para uma festa... Mamãe diz que eu “saí” a você nisso e eu me orgulho... É inesquecível quando você ficou mais emocionado com aquela boneca que eu te pedi e você disse “não”! E, depois chegou com ela, uma caixa maior que eu, com um laço rosa enorme, choramos juntos...

Quando mesmo estando doente você se preocupou mais comigo... Ou me defendendo antes mesmo de saber se eu tinha de fato razão...

Foi com você que aprendi que amigos são coisas de Deus, quando você encontrou um amigo de juventude morando na rua, e trouxe pra casa, e cuidou, ajudou e hoje ele esta bem, porque você acreditou nele, mesmo com todo mundo te criticando!

Oh velho... Quando por fim, você pode realizar o seu sonho... Chegar no estúdio da rádio e ver a minha foto enorme enquanto eu achava que você nem ligava pra mim...

É pai você sempre me amou, mesmo quando eu me revoltei, me afastei, porque eu achava que você amava mais outra família que não era a NOSSA!

Por fim, pai eu peço perdão pelo que não compreendi e pela raiva de amor que eu senti quando você não estava mais dia a dia comigo, quem ia me proteger? De alguma forma você sabia que tínhamos um anjo especial a nosso favor!!!

Meu pai exagerado que fez um escândalo quando apareceram duas manchas no meu rosto e no fim o médico disse que era só mancha de laranja ou limão, rs...

Nós sempre estivemos juntos... Mesmo que a gente não se visse.

Obrigada pai, pelos valores que o senhor me ensinou, pelo seu “genes” que formou meu caráter, forte, intenso e alguns de seus "defeitos" também... Você me chamou e estivemos juntos, até o fim... Não, fim não! Porque nós vamos nos reencontrar! Obrigada por tantas lembranças (as quais seria impossível relatar todas)! Obrigada pelas repreensões e gargalhadas... E até pelos sustos, porque você amava fogos de artifícios... Desculpe pelas vezes que eu não disse "eu te amo" olhando nos seus olhos! Eu queria poder dizer agora... Mas eu vou abraçar e dizer para a pessoa que esteve sempre te representando e sei que o senhor vai aprovar, mas oh, eu sempre te amei.

Feliz dia dos pais meu velho, a rádio do céu, hoje é muito mais emoção, toca uma musica aí pra mim!

Déia Neves

LEIA MAIS

Gente luz




Tem gente luz, que ver o som e ouve o calor…

Que nos faz aquecer de frio…

Calafrio!

Um certo medo de tanto querer…

Uma certeza de fragilidades improváveis

E prováveis receios do desconhecido

Tão docemente tocado,

Jamais imaginado… Utopias!

Respirar o sentido e prosseguir…

Saborear o sonho materializado

Viver o futuro em presente…

Orvalhar-se sem entender…

E sentir-se inundado de amor!

E por vezes, dor!

Dores que jamais foram calculadas,

Mas vividas em certos “talvezes”

Muitas vezes incertos..

Tem gente que nos faz voar

Sem sequer alçar voos

Ou ainda, nos faz flutuar

Na clareza do olhar

Ouvir o silêncio,

Ver no escuro,

Amar o desconhecido

Se entregar a pureza do sorriso…

Tem gente que nos faz

Viver, apenas por viver e isso faz total sentido!

(Déia Neves)

LEIA MAIS