Between the Sheets (Boys of Bishop 3) - Molly O'Keefe

em 6 de outubro de 2014




É tão bom quando você termina a leitura de um livro com o coração cheio das coisas boas que aquela leitura te fez sentir. Bem, é assim que eu estou me sentindo agora. Between the Sheets é uma história de amor, mas não somente daquele amor que o mocinho sente pela mocinha, que nós estamos acostumadas a ler. A gente também vê isso aqui, mas ele também nos mostra um outro tipo de amor, que é tão forte – e às vezes bem maior – quanto o amor de um marido pela sua esposa, é o amor de um pai por um filho e de um filho por seus pais.

Aqui temos a história de Ty e Shelby. Ty acabou de descobrir que é pai de um garoto de 11 anos de idade, Casey, e está lutando para administrar toda a confusão de sentimentos que é a sua vida agora. Ele é um cara de bom coração, teve uma infância e adolescência bem conturbadas e se acha inadequado para a tarefa de ser pai, mas ainda assim ele ama o seu filho e está fazendo de tudo para ter um bom relacionamento com ele e lhe dar uma vida melhor.

A vida de Shelby também não está lá essas coisas. Ela também teve uma infância bem dura e sofreu nas mãos de um pai abusivo e narcisista, que fazia de tudo para destruir a autoestima dela e de sua mãe. Para sobreviver, ela se fechou dentro de si, se tornou uma ilha impenetrável, afastando as pessoas de si. Shelby realmente acreditava que ela não era capaz de amar, só de machucar as pessoas, então pra quê se envolver? E tem mais, a mãe dela tem Alzaimer, e já está em um estágio bem ruim, mas Shelby não sabe pedir ajuda, então ela tá quase no limite das suas forças. Bem complicado, não?

E o que dizer de Casey? Gente, partiu meu coração! Ele sofreu demais nas mãos de uma mãe que não cuidava dele de verdade. O expunha a coisas que nenhuma criança deveria se expor.. Ela acabou presa e ele caiu nas mãos do sistema. Não aguentando mais ele fugiu e andando cruzou o estado para achar o seu pai. Agora, ele está seguro e começando a ser feliz, mas ele não sabe como lidar com esse sentimento, e Casey ainda teme que a sua mãe apareça de novo na sua vida, que Ty o abandone também. Então, para mascarar esses medos ele apronta na escola, com o pai, mas na verdade ele só quer amor, carinho e compreensão.

Shelby é vizinha de Ty, e eles começam a conviver e perceber que estão atraídos um pelo outro. A princípio os seus encontros são válvulas de escape para ambos. Naqueles momentos em que a atração sexual é liberada, eles conseguem esquecer um pouco dos problemas da vida e dão vasão aos desejos, mas isso não é o bastante. Ty é o primeiro a reconhecer e demandar mais desse relacionamento, e por mais que Shelby também queira mais, ela simplesmente não consegue se abrir.

Eu não consigo nem imaginar o tamanho da barra que ela estava passando, se juntar os traumas da infância, aí que o que negócio piora, e apesar das ações dela serem justificadas, eu não conseguir deixar de me irritar um pouco com ela. Poxa, Ty também estava com medo, tinha milhares de motivos também para achar que eles dois não dariam certo e que isso poderia atingir Casey de alguma forma, mas ainda assim ele se abriu e se expos. Mas enfim, as atitudes dela no final do livro conseguiram redimi-la. E eu entendo a sua dificuldade de cortar os laços com o passado e seguir em frente.

Mas sem dúvidas, o que eu mais gostei foi ver o crescimento do amor e do relacionamento entre Casey e Ty. Adorei o jeito que autora lidou com isso e não deixou com que ambos ficassem nesse jogo de esconder os sentimentos. Por mais difícil que fosse, nós vimos Ty se abrir e dizer para o filho que ele não tinha ideia do que estava fazendo, mas ainda assim estava doido para acertar. E essas admissões fizeram toda diferença para Casey, pois ele via que o pai estava se esforçando e por isso ele também tentava. Achei lindo quando Ty disse que não importava se Casey fizesse um monte de besteiras, ele iria corrigi-lo, claro, mas nada do que ele fizesse iria fazer com que ele não se importasse, que ele não o amasse. Lindo, não?!

O final é lindo, nós vemos essas três vidas se unindo e buscando um novo recomeço, baseado no amor e na aceitação. Eu super recomendo!

By Gisele Pinheiro

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!