AMANTE FINALMENTE - J.R. Ward -



Acabeiiiiiiiiiii!!! Amoras acabei!


Sim acabei de ler “Amante Finalmente”, o 11° livro de J. R. Ward da série “Irmandade da Adaga Negra.

Eu arrastei essa leitura desde novembro, sim, novembro! Eu não queria ler o último volume desses meus amores vampirescos, mas enfim... Era tanto burburinho e tanta gente falando que foi o romance do ano de 2013, que eu enfim resolvi ler e ainda mais porque a autora vai nós dar um novo presente, The King o 12° o livro, voltará a contar a história de Wrath, o rei dos vampiros, conhecido como Blind King e a sua luta para se manter no trono, (ainda bem)!


capa de The King


Porque eu, ao contrário das resenhas apaixonadas pelo romance homossexual de Blay e Qhuinn, eu não gostei desse livro e, acho sinceramente que pra quem leu, “Amante sombrio”, “Amante Eterno”, “Amante desperto”, “Amante Revelado”, “Amante Liberto”, “Amante Consagrado”, “Amante vingado”, “Amante Meu”, “Amante Libertada, “Amante Renascido”, eu merecia mais!

Gente eu sorri, chorei, suspirei, enlouqueci de emoção a cada “Minha” que esses vampiros disseram para suas futuras “Shellan´s” (modo como os vampiros chamam as vampiras fêmeas que se emparelham, é algo como casar, mas muito além, uma ligação de alma pra toda vida). Eu merecia mais! Muito mais... Parece que a autora só queria reparar as coisas que NÃO aconteceram lá no começo com os guerreiros Vishous e Butch.

Ward me deve muito, pois eu fui e sou uma defensora dessa série linda e perfeita até o livro 11. Mas, sem querer cometer spoiler, ela passou até a pagina 400 e tantos no banho maria, tantas coisas dispensáveis e tanto pra acontecer e não aconteceu. Foi a maior parte naquela historinha 'xoxa' de Xcor as voltas com a glymera (alta sociedade dos vampiros). E, ainda me digam o que foi aquele encontro tão esperado dele (Xcor) e Layla no carro que acabou em nada? E Trez e Selena? Esqueceram deles? E pior ainda, Sola e Assail? Cadê gente? Coisa linda esses romances e tipo assim... nada?


Sinceramente foi o pior e mais mal contado da série toda! Várias coisas não se encaixaram, muitas coisas no ar, a gravidez da rainha que todos esperavam! Acho mesmo que a autora deve ter se dado conta de toda essa grande “embaçassão” e fez The King e, eu espero mesmo que ela feche todas essas histórias não acabadas...

Agora gostei de algumas coisas sim, Qhuinn mereceu as honras, ele foi o grande herói disso tudo, o Guerreiro, um irmão de verdade. Já Blay na condição de um maricas (ele não merecia isso, ele era um guerreiro %$¨&*$!!!), independente de sua opção sexual, pois quem leu os livros já conhecia a atitude da Irmandade pela vida que Vishous sempre levou, não precisava fazer desses dois amantes essa coisa “nhenhenhém”, detestei!

Houveram cenas lindas e comoventes, sim houveram, mas muita repetição... A parte boa pra Blay foi a atitude de seus pais, chorei claro! Entretanto eu senti uma dificuldade imensa da autora contar um romance entre dois homens, aí partia pra agressão, ou então floridinho demais, demais, de-ma-is!

Bem algumas pessoas a-ma-ram esse livro, eu não, foi uma completa enrolação pra definir o romance nos 45 do segundo tempo! Esse é o resumo na minha opinião. Mas, por tudo que fez até esse e por confiar em sua capacidade J. R. Ward, eu estou ansiosa aguardando “The King”, até porque se eu não souber o que houve com Sola eu morro, até porque ela é neta de uma brasileira, isso eu amei!

E, não nego que estou na torcida pelo vilão Xcor (me julguem). Mas pensem apesar de tudo, de ser um guerreiro rustico, de querer o trono de Wrath, eu creio que ele pode mudar... Sabem porque? Por quem ele é diante de Layla e um homem que sabe reverenciar, respeitar e amar uma mulher/vampira como ele, já ganhou meu coração.

Vocês sabem que eu não sou muito de fazer resenhas, então eu vou chamar de desabafo, rsrs... Eu sou a grande romântica dos filmes, embora não largue um livro.

Espero que você que nunca leu o IAN (Irmandade da Adaga Negra), leia! Pois os livros são maravilhosos e são didáticos, essa autora é além de tudo uma grande figura culta. Aprendi muito com tudo isso. Foi mais de um ano vivendo em companhia desses guerreiros e agora estou sofrendo de DPL (depressão pós leitura). Mas, já estou com “Métrica” nas mãos e mais uma extensa lista de livros para ler esse ano.



Até a próxima!
LEIA MAIS