You Don't Have To Say You Love Me - Sarra Manning

em 20 de novembro de 2013



Olá Meninas,

Aqui estou eu, curtindo uma SÉRIA Depressão Pós Livro, sim, a famosa DPL. Ontem a noite, terminei a leitura do livro que vocês irão ler na resenha do Sem Fronteiras de hoje e ainda estou suspirando.. Claro que o mocinho tem uma ENORME parcela de culpa nessa deprê toda, mas o livro foi tão bom, ele trás tantas lições de vida, que eu só posso ficar repetindo: LEIAM, LEIAM!

Eu aprendi que devemos aprender a nos olhar no espelho, e amar aquilo que estamos vendo. Todos nós temos imperfeições, mas a nossa aparência não é o que nos define, ela só é PARTE de tudo que nós somos. Aprendi também que as aparências, às vezes, enganam. Nem sempre mostramos pro mundo aquilo que verdadeiramente sentimos e por trás de uma pessoa amargurada, pode existir uma pessoa super doce, que só tem medo de se mostrar pro mundo e acabar se magoando e esse processo de se mostrar pode ser lento e doloroso, mas no final das contas é de um aprendizado enorme e vale super a pena.

E o principal, mais um vez aprendi que quem ama de verdade vê além das aparências e ama a essência da pessoa. Neve e Max se amam assim e a jornada deles é deliciosa! ;)


You Don't Have To Say You Love Me - Sarra Manning
(Você Não Precisa Dizer Que Me Ama)

Meu Deus, este livro é bom! Não, não é apenas bom, mas delicioso, desde a primeira página até a última. Eu não posso nem começar a enfatizar o suficiente o quanto eu adorei.

Nesse livro temos a mocinha que depois de perder muito peso, continua a lutar com a sua percepção de si mesma, ao mesmo tempo que começa a querer sair pra vida, tentar uma chance nos relacionamentos amorosos. E também temos o mocinho que vive pulando de mulher em mulher, tentando preencher o vazio que tem dentro si, mas sem querer se comprometer com ninguém. Então, esses dois concordam em começar a "namorar", testar como é se relacionar com alguém de verdade, mas nenhum dos dois pensava que tantos sentimentos iriam se misturar nesse relacionamento panqueca. ;)

Em primeiro lugar, eu amei Max. Ele é tão charmoso, tão engraçado, tão legal e um cara com um coração tão bom que eu posso perdoá-lo por ser um mulherengo. Na verdade, eu perdoo ele por qualquer coisa, a qualquer hora. Desde o início eu fiquei atraída por ele, era como se eu pudesse ver que, por trás daquela máscara de um cara tão auto-suficiente, ele era um homem que só queria ser amado por quem ele é, não pelo que ele tem. Eu amei, amei. Ponto final.

O livro foi tão bom que eu até gostei da Neve . Claro, às vezes ela era um pé no saco, porque ela não conseguia ver além dos seus problemas com o seu peso e apenas amar a si mesma e ser feliz com todo o trabalho duro que ela teve pra emagrecer. Foi irritante, mas eu acho que a autora foi muito realista com seus problemas de peso .. Deve ser muito difícil mudar a cabeça de uma pessoa depois de tantos anos lutando com os problemas psicológicos que a obesidade trás consigo.

Eu amei de ver o relacionamento deles dois crescer lentamente a partir de um primeiro encontro horroroso, para amizade e, finalmente, para o amor. Foi muito realista e embora este seja um livro longo, não me senti entediada nem um instante! foi bem vida real, sabe? Em que as coisas acontecem lentamente, nada de insta-love aqui!! O jeito da autora escrever é ótimo! Eu ri, gargalhei, suspirei e até chorei um pouco, confesso e simplesmente amei cada um desses momentos.

Um dos melhores livros que li este ano. E se você que está lendo esta resenha, ainda não o livro ainda, faça um favor a si mesmo e leia, AGORA!

PS: Sra. Manning, você poderia nos dar um epílogo, não poderia?

Gisele Pinheiro

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!