SMOOTH TALKING STRANGER - LISA KEYPAS

em 1 de outubro de 2013



Olá Meninas,

Mais uma semana que estamos aqui para falarmos dos nossos livrinhos lindos!
E eu aproveito o espaço para ser sincera com vocês.. estou com um problema. Como 90% dos livros que leio ainda foram lançados no Brasil, meu estoque de resenhas para livros publicados aqui está bem baixo e tem muitos livros publicados aqui que eu li, mas não fiz resenha, e como estou em uma correria doida, não estou com muito tempo para fazer aquele tipo de resenhas que vocês, leitoras queridas, merecem.

Então, vou aproveitar as segundas para também postar resenhas de livros gringos, mas que tem tradução rolando na net. Deixando o Sem Fronteiras para postar os que não te tradução, ok?! Não fiquem chateadas com a Gisa, é só enquanto eu termino minha mono, depois disso eu fico livre leve e solta! HAHAHA! Olha o perigo!

Então vamos a resenha de hoje?? Esse livrinho aqui é bem fácil de encontrar traduzido e como sempre, se quiserem que eu mande para você é só falar nos comentários! ;)

SMOOTH TALKING STRANGER - LISA KEYPAS

Titulo em português: Boas Vibrações

Sou super fã da Lisa Kleypas em seus livros históricos e nunca tinha lido nada dos seus contemporâneos. Lendo as resenhas na gringa, percebi que a opinião deles sobre quais livros são melhores é a mesma que eles tem sobre a Julie Garwood.. Uns dizem que os históricos são os melhores, outros defendem os contemporâneos com unhas e dentes..

Decidi testar Smooth Talking Stranger (é o último livro da trilogia dos irmãos Travis - lá vai eu ler livros fora da ordem - irmãos SUPER ricos, tipo alpha, ah, são texanos :3)

Aqui temos Jack Travis, o irmão do meio, e o mais "relaxado" de todos - quando li isso pensei, se o mais relaxado é desse jeito, imagina os outros, meu Deus o_O!!

O menino é lindão, e apesar de já ter nascido rico, não quis trabalhar no mesmo ramo do pai, e abriu sua própria empresa, e claro que ganhou milhões e milhões. Ele não divide o que é dele, nunca deixa a mulher pagar o jantar, é super protetor, enfim, é adepto daquele tipo de machismo que a gente gosta, sabe?!

Logo que ele conhece a Ella, ele já vai tomando conta dela, apesar da resistência da mocinha, que chegou a me aguniar! Eu sei, eu sei, que Ella teve vários traumas de infância com a mãe pertubada e tals, não consegue confiar nas pessoas totalmente - apesar de já estar namorando e morando com um cara a vários anos. O relacionamento com o Dane é aberto, e detalhe ela só foi descobrir isso quando estava terminado com ele. hahaha...

O livro é narrado em primeira pessoa, sob o ponto de vista da Ella. Eu não tenho problemas com esse tipo de narrativa.

A mocinha foi ao encontro de Jack pois achava que ele era o pai do filho da irmã dela. A irmã entrou em parafusos e deixou o bebê de uma semana na casa da mãe, que é mais louca ainda. E Ella teve de sair de Austin e correr para Houston afim de cuidar do bebê, enquanto a irmã se recupera.

Jack e sua familia vão cercando Ella e dando o apoio que a propria familia e namorado de Ella não deram. As interações dos outros irmãos são ótimas e deu vontade de ler os outros livros!!

A relação de Ella e Jack é ótima. Ele tentando - e conseguindo - mandar nela geram cenas muuuuito boas, sexies e divertidas. Eu gostei bastante apesar de não acreditar muito na recuperação total da Ella. O final me pareceu meio corrido e achava que a autora deveria ter nos mostrado mais provas de a mocinha se libertou dos seus traumas.

Mas se pensa que isso atrapalha o andar do livro, está enganada! As coisas vão acontecendo e você não consegue parar de ler. Comecei ontem a tarde e fui até as 2:30 da manhã até terminar! Sinal de que é bom né?!

Gisele Pinheiro

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, é muito importante para nós!