Gatinho Iron - vídeo do passo a passo



Fiz esse gatinho, que é o gato de uma querida amiga "Iron" pelos meus olhos... Esse é o segundo da coleção, o primeiro foi o Eddie e foi postado aqui também. Faz parte dos vídeos Desenha e Colore.
Espero que gostem.

Material: Lápis de cor Prismacolor e caneta posca branca 0,75


A musica desse vídeo faz parte da playlist autorizada pelo youtube.

LEIA MAIS

The Chosen "A escolha" J.R. Ward Resenha


Atenção Spoiler

Oi amoras...
E aqui estou, para mais uma resenha dos nossos vampiros queridos da IAN!!!
Levei 04 dias para ler, naquele meu ritmo "cefaleia" de ser... Afinal é essa a realidade, não é mesmo?
Mas bem, todos leram que tem spoiler? Ok, vamos lá!

Resenha:

Finalmente, após Rhamp e Lyric nascerem, estava na hora de Layla e Xcor se resolverem não é messssmo? Nós já imaginávamos que não seria fácil, mas, ninguém imaginaria que Qhuinn seria o personagem louco que iria sair da caixinha e transformar o mundo dele e Blay, de Layla, Xcor e do Rei cego num inferno? Pois é e acreditem, eu odiei Qhuinn, muito! Já V, teve atitudes tão nobres que eu pensei se seria ele a ficar no lugar da Virgem Escriba (alias que surpresa a escolha da Deusa da raça).

No desenrolar do livro temos Trez desolado pela perda de sua Selena, mas aí a autora teve a brilhante ideia de surgir com um clone de Selena, que atende pelo nome de Therese e se candidatou a vaga de garçonete no Sal´s de iAn... Imaginem como Trez pirou com isso? Lassiter é bom em pirar as pessoas não?

Se tem uma coisa que realmente eu gostei nesse livro, foi o empoderamento das fêmeas, elas falaram o que pensavam e defenderam o que amavam, achei lindo.

Por outro lado detestei Tohrment e Qhuinn desobedecendo o Rei. Pior que isso foi  Throe lidando com algum tipo de "magia negra" para criar um exército de sombras ou bolhas, algo muito estranho e mal explicado, vamos precisar de mais livros para entender...

Xcor nunca foi a pessoa que eu simpatizasse, mas, conhecer a historia do bastardo no velho continente nos faz repensar algumas coisas... Sem contar um parente de sangue na irmandade, acreditem!

Outra coisa que parece não estar tão bem é o relacionamento de Vishous e Jane, já que o guerreio se sente deixado de lado, devido a dedicação da médica aos seus pacientes. E, por falar em paciente, parece que Assail vai de mal a pior no processo de "abstinência", nessas horas que penso, "onde está Lassiter"? Confesso que estou ansiosa para um livro de Assail e Marissol.

Bom, eu amo qualquer livro que me mate um pouco a saudade da Irmandade, mas preciso ser sincera e dizer que nem de longe esse é um livro da Ian que você lê e pensa, "puxa que livro phoda"! Ja-ma-is!!! É no máximo um livro mediano. É um livro onde se não fosse o grupo de Bastardos de Xcor, os lessers teriam levado a melhor sobre os Guerreiros da Irmandade. É um livro previsível, total e absolutamente. É um livro tão vazio que a autora enche linguiça fazendo piada com as fraldas dos bebês.

O final, eu já sabia desde o principio do livro e, para nós viciados em leitura isso é horrível! Todos sabemos que Ward pode nos oferecer muito mais que isso. Sendo sincera os livros do "Legado" tem sido inclusive melhor. Esperamos cerca de 01 ano por um livro da Ian e sabemos que merecemos mais que um livro mediano. Tirando os trechos da infância de Xcor que são de fato tocantes, muito pouco é novo para nós. Por isso para mim esse livro merece apenas ** estrelas.

Essa foto acima é a capa oficial do livro no Brasil.

Onde comprar?

O exemplar em português se encontra em pré-venda na Saraiva, o lançamento esta previsto para 31/08/2017, garanta o seu, CLIQUE AQUI
LEIA MAIS

A sociedade nunca vai conseguir. ...


No controverso mundo que vivemos, enquanto deveríamos estar dormindo, estamos olhando para o teto, fiel companheiro... 

Mais uma noite em que tentamos lidar com os fantasmas, com dores, com um lado emocional destroçado, mas não conseguimos... É difícil lidar com a raiva, de simplesmente, não conseguir ser como "deveríamos" ser... Desapegados, descolados, suave, como é mesmo a nova "hastag" #plena ? ... 

Não foi para isso que a sociedade nos moldou? Para sermos seres que "pegam mas não se apegam"? Só que como é que a gente faz, como a coisa não saí exatamente assim? Ninguém explicou isso. 

Essa vídeo aula não rolou, entende? E, quando o sono vai embora? O estômago dói? A boca seca... E quando a gente só quer ficar em casa de pijama e chorar, porque tá doendo? Aí a gente se sente assim mesmo... Fracassado? E mesmo que a gente queira comentar com alguém, porque quem sabe, alguém da família ou amigos já se sentiu assim... Não, não aquela tia problemática, o caso dela é outro bem mais grave, mas, quem sabe alguém teve uma fase assim né? Mas, ninguém tem tempo de parar um pouco e conversar... 

Assim nos tornamos os seres da terapia secreta das terças a noite, do pantoprazol antes das refeições, tomamos um comprimidinho para dormir.... E durante o dia tomamos muito café para aguentar a rotina, piorar o estômago e mandar de vez o sono para o espaço...

Ahhh, nas redes sociais? 

Aaaaaah! Somos as pessoas que a sociedade deseja, felizes, risonhas, vivendo no mundo do contente. 


Aquela lágrima? 

Que lágrima? Nosso travesseiro não fala...
LEIA MAIS

Expectativa para The Chosen - 15 livro da Irmandade da Adaga Negra - JR Ward


The Chosen ou o Escolhido... Foi lançado dia 04 de Abril nos Estados Unidos e não tem previsão para lançamento no Brasil. (Isso me mata).

O livro vai contar a historia mais enrolada desses livros, Xcor e da Layla! Pela Virgem Escriba, que coisa demorada... Esse casal e Assail e Marissol (que eu amoooo) são os mais enrolados da vida!

Será que eles enfim terão um final feliz? Como Quinn vai reagir? Nossa que ansiedade! Mas vocês sabem que nós sempre damos um jeitinho e contamos antes para vocês, não é?

Enquanto isso vou disponibilizar um trecho exclusivo que o ew.com liberou na internet... (Para ler o original, clique no link)




Trecho postado originalmente em Inglês: ATENÇÃO TEM SPOILER

"Um amor proibido escaldante ameaça romper uma fenda através da Irmandade da Adaga Negra, no mais recente romance de J. R. Ward na série de best-seller do New York Times."


Ele nasceu em uma noite de inverno, durante o vendaval de uma nevasca histórica. No fundo de uma caverna úmida e suja, assim como as rajadas geladas ameaçado útero de barro, a mulher que deu à luz tinha gritado e sangrado para trazer o filho que o Irmão da Adaga Negra Irmão Hharm lhe tinha exigido.

Xcor foi rompido. O primeiro de muitos de seus erros, e possivelmente o único que não tinha sido culpa dele. E ele tinha sido querido... até que seu rosto emergiu.
Seus defeitos físicos ofuscaram até mesmo o triunfo do seu gênero, e desta forma, seu criador tinha nivelado os cuidados de seu ego incipiente como uma maldição sobre a sua mahmen, uma punição por sua incapacidade de gestar uma prole adequada.

E esse foi o início da sua história... que o tinha levado até ali.

Em outra caverna. Em uma outra noite de Dezembro. E tal como no seu nascimento, o vento uivava para cumprimentá-lo, apesar que desta vez, foi um recobro de consciência em oposição uma expulsão para a vida independente que o acordou.
Tal como uma cria recém-nascida, ele tinha pouco controle sobre o seu corpo. Incapacitado estava ele, e isso teria sido verdade mesmo sem as correntes e as barras de metal que estavam presos sobre o seu peito, seus quadris, suas coxas. Máquinas, em discrepância com o ambiente rústico, apitavam atrás da sua cabeça, monitorizando a sua respiração, frequência cardíaca e pressão arterial.

A Irmandade da Adaga Negra estava o mantendo vivo... para o poderem matar.
E à medida que o seu cérebro começava a funcionar de baixo do seu crânio, enquanto os pensamentos finalmente se aglomeraram e formaram pensamentos racionais, ele recordou-se da série de acontecimentos que o colocaram a ele, o líder do Bando dos Bastardos, na custódia do que tinha sido seu inimigo: um ataque que lhe foi feito por trás, uma queda que provocou uma concussão, um AVC ou algo semelhante que o tornou propenso e em suporte de vida à mercê, não existente, dos Irmãos.

Xcor recobrou a consciência uma ou duas vezes durante o seu cativeiro, mas a conexão na sua arena mental tinha sido insustentável por grande períodos de tempo.
Isto era diferente. Ele conseguia sentir a mudança dentro da própria pele. O quer que fosse que tinha sido danificado tinha finalmente sido curado. Ele tinha voltado da paisagem enevoada que não era nem-vida-nem-morte.

Mesmo com os seus olhos fechados, ele não podia fingir estar inconsciente para sempre.

— ... o que me preocupa de verdade é o Tohr.

O final de uma frase proferida por um macho entrou no seu ouvido como uma série de vibrações, e a tradução delas estava com atraso. Mas o nome...

— Nah, ele é forte. — Houve um som de um arranhar suave seguido do cheiro rico do tabaco. — E se ele falhar, eu estarei lá.

A voz profunda que tinha falado primeiro ficou seca. — Para manter ele na linha—ou para o ajudar a assassinar o pedaço de carne?

O Irmão Vishous—Sim, quem era—riu como um serial-killer — Que visão da porra você tem de mim.
Era uma maravilho pensar que eles não se entendiam melhor, pensou Xcor.
Mas, mais uma vez, a Irmandade e os Bastardos tinham estado em lados diferentes do reinado de Wrath. Na verdade, a bala que o Xcor tinha colocado na garganta do líder por direito da raça vampírica tinha sido um evento clarificador quando se tratava de afiliações.
Desde aquela altura, contudo, tinha existido uma força contrária que intercedeu no seu destino.

A imagem que lhe veio à mente foi de uma fêmea alta e esbelta com as vestes brancas de uma das Escolhidas da Virgem Escriba. O seu cabelo loiro ondulava a baixo dos seus ombros e arrastavam-se na brisa gentil, e os seus olhos eram da cor de jade, e o seu sorriso era uma bênção que ele nada tinha feito para merecer.

A Escolhida Layla tinha mudado tudo para ele, remodelando a Irmandade de alvo para tolerável, de inimigo para um inclino co-existencial no mundo.

Ela tinha tido mais efeito na sua alma negra que todos que haviam aparecido antes dela, evoluindo-o uma distância maior num espaço de tempo mais curto do que ele alguma vez teria pensado possível.

— Eu quase quero que Tohr apareça aqui e o foda em pedaços. Ele ganhou esse direito.
O Irmão Vishous praguejou. — Todos nós ganhamos. Traidor do caralho. A parte mais difícil disto vai ser garantir que haja alguma coisa que sobre no final para Tohr o ter.

E aqui estava o problema, pensou Xcor por trás das suas pálpebras fechadas. A sua evolução era desconhecida aos seus antigos inimigos... e a única maneira de sair deste cenário mortífero seria revelar o amor que ele tinha encontrado com uma fêmea que não era dele, nunca tinha sido, e nunca irá a ser.

Mas ele não iria sacrificar a Escolhida Layla por ninguém.

Nem mesmo para salvar a si próprio...

Fonte: ew.com

Só não me perguntem como fica a ansiedade esperando para ler...
LEIA MAIS

Blood Vow - Legado da Irmandade Adaga Negra - JR Ward - Resenha


Blood Vow ou Voto de Sangue é o Segundo livro da série "Legado" da IAN - NO SPOILER

Acabei de ler ontem e já to passando mal de abstinência. Toda vez que eu acabo de ler eu tenho essa sensação de abandono, nem preciso dizer da minha frustração do livro ser lançado aqui no Brasil em data diferente da "gringa" né? Nós merecíamos um lançamento simultâneo. Mas bem vamos lá!

Blood Vow traz muitas passagens emocionantes, especialmente da Família do Rhage. Mais uma vez todo amor dessa família vai deixar nosso coração apertadinho. E também de Axe (um dos recrutas, treinado pelos Guerreiros), que dessa vez vai ter seu coração tomado por Elise, uma fêmea da glymera.

Se pensarmos bem, um nada tem a ver com o outro, pois ao que sabemos, Axe é um macho sem uma linhagem de sangue apropriado para Elise, além de suas "preferencias sexuais"...

Quando entendemos toda a vida de Axe, então temos certeza que esse amor vai ser complicado e cheio de empecilhos.

As duas historias vão nos instigando e é quase impossível largar o livro, apesar da tradução, rsrs...

Outra coisa que vamos descobrir do meio para o fim do livro é que Peyton (primo de Paradise, personagem principal de Beijo de Sangue), mais um recruta da Irmandade, tem uma paixão dentro de si que ele mesmo nega, mas que promete muitas emoções futuras e só para deixar vocês  curiosos é por outro recruta do treinamento. Yes!!! Eu adorei.

O livro é magnifico! Envolvente...
Mas, eu preciso dizer que as citações de Ward a muitos personagens de programas, filmes e/ou pops da musica Americana nos deixa em situação complicada. Porque são "girias" que a nós é desconhecidas. Eu detestei isso no livro, detestei. Afinal Ward é um sucesso mundial, precisa pensar nos leitores de outros países. Alem de citar muitas lojas americanas também!
Eu já me sinto culpada por usar alguns termos que só quem acompanha a série entende, pois já é muito entender todas as palavras usadas pelos vampiros da IAN, mas essas citações são bem confusas ao menos para mim.

Não posso terminar sem falar de Lassiter, gente nesse livro esse Anjo maluco se supera, não só em traquinagens, mas mostrando mais ainda seus poderes e sua bondade. Sou apaixonada por ele.

Tem cenas quentes, tem muitos lances engraçados, tem momentos tensos e outros tantos que não há como conter as lágrimas...

Se eu gostei? Muitíssimo... Mas minha nota é 4, para que Ward entenda que o mundo não gira em torno de Nova York, hehehe!

Bem, para você que é fã da IAN já deve além de estar de olho nesse livro (lançamento previsto para segundo semestre no Brasil), já deve estar pensando em The Chosen, que foi lançado no ultimo dia 04 nos Estados Unidos (sem previsão para lançamento no Brasil). Vamos falar dele na próxima postagem do Domingo dia 30/04.

Não me aprofundei muito pq qualquer coisa que eu diga será spoiler, tudo que posso dizer é NÃO DEIXEM DE LER!

Bjokas
LEIA MAIS

Stranger Things - Data da segunda temporada!!! Yes!!!

Oie amoras,

Eu já falei que sou louca por séries? Não? Pois é sou, mas eu preciso admitir que fazia tempo que eu não encontrava uma série que eu gostasse pra valer como Stranger Things (Coisas Estranhas), até relutei de assistir, mas preciso confessar...

É boa pra valer! Alem do mais tem essa frase, perfeita!

Eu não gosto muito de filmes com crianças e animais, mas me rendi, são 08 capítulos da primeira temporada, disponível na Netflix, mas quando acaba dá uma dor no coração. Eleven é sem duvida o que mais me comove em tudo isso. Não vou dar spoiler, mas se você não assistiu, assista porque a Netflix divulgou o primeiro vídeo teaser da segunda temporada de Stranger Things, confirmando o lançamento dos novos episódios para o mês de outubro.

Veja:



Ehhhhh, sim, outubro! E eu já estou ansiosa!

Segundo o comercial americano, a nova temporada será disponibilizada no Halloween, o que nos leva a acreditar que a data correta seja 27 de outubro, uma sexta-feira (dia tradicional de lançamento dos programas originais na Netflix).

Relembramos que a segunda temporada de Stranger Things terá um salto temporal de aproximadamente um ano dentro da narrativa, ou seja, o segundo ano vai se passar em 1984.

Além disso, diversos atores foram anunciados para o novo ciclo, incluindo Sadie Sink (The Americans), Dacre Montgomery (Power Rangers), Brett Gelman (Go On), Paul Reiser (Mad About You), Sean Astin (Senhor dos Anéis) e a novata Linnea Berthelsen.


O elenco principal também possui retorno confirmando: Winona Ryder (Joyve), David Harbour (xerife Hopper), Joe Keery, Noah Schnapp, Finn Wolfhard, Gaten Matarazzo, Caleb McLaughlin e Millie Bobby Brown (Onze/Eleven) aparecerão no segundo ano da série.

Entre as novidades, teremos justiça para Barb, o xerife Hopper lidando com o luto e mais do triângulo amoroso jovem entre Jonathan, Nancy e Steve.

Para completar, o Mundo Invertido estará de volta, já que o primeiro ano apenas “abriu a cortina” para este estranho lugar.

A segunda temporada de Stranger Things estreia em outubro na Netflix.


Pesquisa: Minha Série/TecMundo e Netflix Brasil
#NoPubli
LEIA MAIS

Quando eu e você éramos NÓS

Pensando em nós, quando vc era apenas você e eu, apenas eu... tudo era tão calmo, tão certinho, dentro da rotina. Uma vida calma, com sorrisos, amigos e alguma diversão.
Até que a gente se encontrou de uma forma inusitada, no meio da confusão e entusiasmo que era minha vida, então eu passei a ser nós...
Eu te perdi por incontáveis vezes, mas eu sempre fui eu e você (você e não VC como muitos imaginavam).
Você foi muito eu, tão docemente eu que era difícil acreditar... Era a benção que eu nem ousei pedir.
Escrevi quase tudo que florescia em mim para você e todo mundo achando que era para um outro som, uma outra mão que tocava outro acorde, uma outra voz, que era segunda e não primeira como a sua... Foi conveniente confundir...
E, você sendo eu tão profundamente, teve ciúmes de um amor superficial, sendo eu e você, nós, não seria obvio que tudo, todo o tempo era para você?
Eu em você e você em mim, de tanto amor e ciúmes nos perdemos em nós... Eu aprendi por fim que o lirismo das entrelinhas me fez perder o amor real e palpável... Faltou confiança, faltou o olho no olho e as lágrimas quentes que insistem em cair ao ouvir sua voz numa canção, que muitos desconhecem, mas que eu sei ler, eu sei de cor, todas, completamente... Plenamente.
Minhas madrugadas em mim, me leva até você e eu te encontro nos seus palcos e você está brilhando, sua voz ecoando nas grandes telas e eu aplaudindo tudo.
Não se engane... Eu ainda sou nós, eu preciso sentir sua mão linda, sua voz rouca, seu olhar doce de meu menino...
Vou ser nós eternamente, tão profundamente você que as vezes nem consigo me encontrar... Acho que de repente se procurar bem, vai me encontrar bem aí.
Nunca esqueça... "Se um vento tocar o seu rosto, fui eu que saí de mim e passei para lhe dar um beijo."
Eu amo sair de mim, não para sermos nós, porque eu respeito tudo em você, mas para ser você, sentir você, adormecer ouvindo você...
LEIA MAIS

Prisioneira de mim mesma


De todas as coisas do mundo, eu só queria um vida livre... Sem as cobranças internas, sem os compromissos e cobranças impostos pela consciência, pela culpa.

Queria a liberdade, asas em forma de uma mochila...

Rodas em forma de um tênis velho.

Pisar nas convenções, seguir com olhar firme e ombros leves...

Ver o tempo passar pelos fios brancos do cabelo em um sacolejar do vento, na beira de uma praia e não a frente de um espelho oprimida por uma sociedade desonesta.

Eu preciso... Preciso de uma liberdade que eu não conheço, mas existe na minha essência.

Uma liberdade que não existe no ideal, não foi formulada, por que a liberdade é diferente para cada qual.

A minha liberdade tem respeito, tem troca, tem sorrisos... Tem limites, tem deveres... A minha liberdade respeita a sua.

Liberdade é uma força fundamental que mora dentro de nós, que alimenta nossa sanidade, nutre nossa alma e que sem ela não há a menor razão de existir...

Um ser humano sem liberdade, ainda que apresente sinais vitais, está morto.

LEIA MAIS

Receita: Bolo de Chocolate sem Trigo




Olá amores, hoje vim compartilhar com vocês uma receita de bolo de chocolate sem trigo MARAVILHOSA (olha que coisa boa, gluten-free!) que fiz semana passada e que fez tanto sucesso aqui em casa que eu senti essa necessidade mostrar pra vocês também. O bom é que essa receita é bem simples, somente 5 ingredientes, e se eu consegui fazer, todo mundo consegue.
Sério, não existe pessoa mais estabanada que eu, e se Gisele conseguiu separar clara de gema, e depois bater a clara em ponto de merengue, QUALQUER pessoa consegue! Vamos a receita?



BOLO DE CHOCOLATE SEM TRIGO

Ingredientes:

85g de manteiga sem sal
226g de chocolate meio amargo
6 ovos (você deve separar as gemas das claras, então serão 6 claras e 6 gemas)
1/2 xícara de açucar
1 pitada de sal

Instruções:

1. Pré aqueça o forno à 180ºC. Unte com manteiga uma forma média de fundo removível (é importante que a forma seja de fundo removível, porque o bolo tem uma consistência de brownie e mesmo untada, ficaria muito difícil de desenformar). Outra dica é que no fundo da forma, eu coloquei também papel manteiga, só pra formar uma base e deu super certo. Reserve a forma.

2. Em uma tigela grande derreta o chocolate e a manteiga em banho maria, mexendo aos poucos - pode ser no microondas também. Uma vez derretidos, deixe esfriar e acrescente as 6 gemas e misture. Adicione a pitada de sal e misture novamente. Importante: deixe o chocolate esfriar, porque se você colocar as gemas com ele ainda quente, elas vão cozinhar.

3.Com uma batedeira - ou na mão se você tiver força e disposição - bata as claras. Quando elas começarem a espumar, começe a acrescentar aos poucos o açucar. O ponto das claras é quando você consegue criar com elas uns bicos firmes - o famoso ponto de merengue. 

Ponto de Merengue

4. Misture 1/4 das claras na mistura de chocolate. Depois aos poucos vá misturando o restante das claras à mistura, e aqui está o segredo e onde você deve tomar cuidado. O primeiro quarto das claras, você pode misturar bem, mas o restante, você deve misturar gentilmente, com movimentos de dentro para fora, para não perder o aerado das claras, essa massa tem que ficar aerada, leve. Não se preocupe se você ainda ver algumas partes brancas na mistura é assim mesmo, se misturarmos demais, o ar vai embora.

5. Derrame essa mistura na forma e alise um pouquinho para arrumá-la e coloque no forno por cerca de 40 - 50 minutos, isso vai depender do seu forno. O bolo vai inchar e a parte de cima ficará rachadinha, é assim mesmo. Se você quiser colocar um palito dentro, o ponto deve ser o de brownie, o palito sairá um pouco molhadinho, é esse ponto que estamos buscando, crocrante por fora e molhadinho por dentro.

6. Depois de pronto retire do forno para esfriar. O bolo irá murchar bastante - e é pra ser assim mesmo - e a parte te cima vai rachar um pouco mais. Aconselho que só desenforme depois de totalmente frio, fica mais fácil. 

Agora meu bem é só aproveitar! O gosto é parecido com o de um brownie, mas ao invés de pesar na boca, ele derrete, por causa do ar das claras. Super leve!! Como aqui em São Luís é super quente e depois de um dia ele começou a derreter, eu o coloquei a geladeira e durou a semana toda. Gelado, ele fica com a consistencia mais firme, mas ainda assim não perdeu a leveza. 

Recomendo demais! Faça e depois venha aqui me contar o que achou. E Déia, se joga, como te falei, se eu cosegui fazer, você vai tirar de letra! =)


LEIA MAIS

Viajar, contemplar o mundo! #52semanasdegratidão



Se tem uma coisa que me deixa feliz é fazer as malas!

Sou dessas pessoas que nasceu para viver com a mochila nas costas. Tenho a desconfiança que em outra vida (se é que a tive eu fui um Jaboti rs). Pensem numa pessoa que ama viajar. Amo uma boa estrada, conhecer cidades novas, paisagens, fotos...
Não preciso ir para longe, pode ser logo ali no litoral, ou no interior.


Mas, também não dispenso conhecer outros estados...




Ou mergulhar num Thermas...


Andar nas nuvens... Ah, as nuvens de algodão, ou a cidade iluminada vista de cima!!! Como eu amo!



Conhecer as culturas diferentes das nossas habituais, o jeito diferentes das pessoas falarem, tudo me encanta. Trazer de cada cantinho uma lembrancinha, pode ser a mais baratinha de todas, não importa, são preciosas para mim. Sou chatinha, daquelas que diz "cuidado com esse cortador de unha, veio de "giz de fora!" Minha vida é assim, feita de relíquias baratinhas, mas de um valor inestimável para mim.

Porque eu gosto mesmo é de sentar na Praça e ver o patinhos saírem para o passeio as 15h em Holambra e depois comer torta Holandesa e tirar foto dentro do tamanco de madeira.

 Ser acordada pelo tiro de Guerra de Colatina.

E ficar esperando na rodoviária e me divertindo conversando com o povo lindo de Florianópolis.


Mas eu também amo ir simplesmente no Guarujá e implicar com o rapaz do quiosque que coloca muito açúcar no suco e ver o dia passar de frente para o mar.

E voltar para casa, ah... A delicia de voltar para casa.

(todas as fotos dessa postagem são de autoria de Déia Neves)

Porque a vida é isso, é viver em constante movimento. A vida insiste em me prender, mas, eu ainda quero ir tão longe, o mundo é tão grande para que eu fique parada no mesmo parâmetro... Mas eu já sou grata por me movimentar e por ter vontade de continuar...

"(...) a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir." (Trem Bala - Ana Vilela)


Essa postagem faz parte da postagem coletiva #52semanasdegratidão, idealiazada pela Elaine Gaspareto, caso queira conhecer e/ou participar clique na imagem abaixo.


LEIA MAIS